Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Austrália leva irmãs nadadoras para Londres nos 50m

Por Da Redação 22 mar 2012, 11h16

Por AE

Londres – Cate e Bronte Campbell serão as primeiras irmãs a competir juntas pela equipe australiana de natação na Olimpíada nos últimos 40 anos. A presença de ambas nos Jogos de Londres foi garantido nesta quinta-feira, no encerramento da seletiva nacional em Adelaide, quando elas conseguiram uma “dobradinha” na prova dos 50 metros livre.

Cate Campbell, que já havia garantido vaga na prova dos 100 metros livre, venceu a disputa dos 50 na seletiva em 24s44. Bronte, a irmã mais nova, ficou em segundo lugar na prova, com o tempo de 24s61, para também se garantir em Londres. Cate, de 19 anos, e Bronte, de 17, serão as primeiras irmãs que farão parte da mesma delegação desde que Karen e Moras Narelle e Neil e Greg Rogers competiram em 1972, na Olimpíada de Munique.

Com o encerramento da seletiva, o Comitê Olímpico Australiano anunciou nesta quinta-feira uma equipe de 44 nadadores para os Jogos de Londres, sendo 23 mulheres e 21 homens, incluindo 13 adolescentes. Metade dos membros da natação olímpica australiana estará sua estreia nos Jogos. Neste quinta-feira, Leisel Jones se classificou para sua quarta Olimpíada ao terminar em segundo lugar na final dos 100 metros peito.

Já Libby Trickett, dona de três medalhas de ouro olímpicas, só estará em Londres na equipe do revezamento 4×100 metros livre após terminar em quinto lugar a prova dos 100 na quarta-feira. Nesta quinta, ela tentou obter uma vaga nos 50 metros livre, mas ficou apenas em quarto lugar.

Os principais nomes da equipe australiana em Londres são Stephanie Rice e James Magnussen, campeão mundial dos 100 metros livre, que se classificou para esta prova e também para a dos 50 metros livre. Já Rice tentará defender as medalhas de ouro dos 200 e 400 metros medley, conquistadas na Olimpíada de Pequim em 2008.

O ausente mais notável é Ian Thorpe, dono de cinco medalhas de ouro olímpicas, que anunciou seu retorno às piscinas em 2011 após seis anos de aposentadoria, mas fracassou nas provas dos 100 e 200 metros livre em Adelaide. O astro, no entanto, disse que seguirá competindo e não descartou a possibilidade de lutar para ir ao Mundial de 2013 e para a Olimpíada de 2016, no Rio.

Continua após a publicidade

Publicidade