Clique e assine a partir de 8,90/mês

Atlético tenta o 3º lugar e o Bayern quer despachar o Raja

Na rodada final do Mundial de Clubes 2013, brasileiros encaram chineses do Guangzhou Evergrande e alemães tentam evitar mais uma zebra marroquina

Por Da Redação - 21 dez 2013, 07h31

“Esta talvez seja a única oportunidade de vencer o Mundial de Clubes, pois não sabemos se voltaremos a jogar este torneio”, disse Guardiola

O Bayern de Munique é o grande favorito para conquistar o Mundial de Clubes, neste sábado, em Marrakesh, diante do Raja Casablanca, enquanto o Atlético-MG busca o terceiro lugar contra o Guangzhou Evergrande, da China, para evitar o que seria o pior resultado de um clube sul-americano na competição. Os bávaros enfrentam uma equipe que ocupa apenas a nona colocação do Campeonato Marroquino e que, no papel, não deveria causar problemas aos atuais campeões europeus. O Raja Casablanca, porém, está eufórico. Convidado para participar do torneio como atual campeão da Liga do país-sede, superou todas as expectativas e se classificou para a final após derrotar o Auckland City, o Monterrey e o Atlético. Antes dos marroquinos, apenas uma equipe africana, o Mazembe congolês, conseguiu aparecer como “penetra” na final do torneio, em 2010, saindo derrotado pela Inter de Milão por por 3 a 0. “Temos nossas chances. O Bayern é uma equipe gigante, mas vamos fazer o possível para superar este último obstáculo. Podemos sonhar, estamos em casa e temos o apoio de nosso público”, disse o técnico tunisiano do Raja, Faouzi Benzarti.

Leia também:

Cartola do Atlético nega vexame, mas alfineta Gaúcho

‘É duro’, diz Ronaldinho após a noite bizarra em Marrakesh

Continua após a publicidade

Cuca admite atuação ruim e pede desculpas à torcida

No Horto, festa atleticana termina em lágrimas e desespero

Após vexame, Kalil confirma saída de Cuca do Atlético

O público marroquino tornou-se o 12º jogador da equipe, que também conta com bons jogadores, como o marfinense Kouko Ghehi e o capitão Mohsine Moutaouli. A principal tarefa do técnico espanhol do Bayern, Pep Guardiola, é convencer seus jogadores da importância deste torneio, de pouco valor na Europa. “Esta talvez seja a única oportunidade de vencer o Mundial de Clubes, pois não sabemos se voltaremos a jogar este torneio”, disse Guardiola. O Bayern deu o primeiro passo em direção a seu objetivo ao derrotar o Guangzhou da China nas semifinais. A estrela do clube bávaro, o francês Franck Ribéry, afirmou estar levando muito a sério o Mundial, focado na conquista de um quinto título na temporada para fechar com chave de ouro um grande ano, no qual levantou os troféus da Liga dos Campeões, da Supercopa da Europa, do Campeonato Alemão e da Copa da Alemanha. “Queríamos chegar à final em Marrakesh e conseguimos jogando uma partida séria contra o campeão da Ásia. Na final, entraremos com a mesma seriedade. Vencer este título mundial será uma forma de terminar um ano perfeito de forma brilhante”, comentou o francês. Caso conquiste o título, o clube alemão será tricampeão mundial, após levantar a taça em 1976 e 2001. O jogo começa às 17h30 (de Brasília).

Antes, às 14h30, o Atlético Mineiro, após a decepção da derrota na semifinal para o Raja Casablanca, busca agora o bronze na competição para não acabar na pior colocação de uma equipe sul-americana na história do Mundial de Clubes. Nas nove edições anteriores do torneio, uma equipe sul-americana sempre chegou à final exceto em 2010, quando o Internacional de Porto Alegre foi derrotado nas semifinais pelo Mazembe do Congo, mas terminou na terceira posição, após derrotar por 4 a 2 o Seongnam Ilhwa Chunma, da Coreia do Sul. Uma derrota e a consequente quarta colocação para o Atlético significaria um vexame ainda maior. O zagueiro Réver, capitão da equipe mineira, afirmou que o Atlético deve vencer a última partida e voltar para o Brasil pelo menos com o simbólico bronze do torneio. “Temos que vencer a próxima partida para retornar com dignidade ao Brasil”, declarou o atleta que esperava terminar sua participação no torneio levantando a taça de campeão, mas acabou sofrendo uma grande decepção contra o Raja. O Atlético deverá confiar, de novo, em sua maior estrela, Ronaldinho Gaúcho, irregular contra o Raja, apesar do belo gol marcado numa cobrança de falta que chegou a empatar a partida para os brasileiros. Será o último jogo do técnico Cuca à frente da equipe.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade