Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Atlético-MG perde, mas conquista bicampeonato mineiro

Raposa abriu 2 a 0, mas tomou gol e não teve forças para impedir o bicampeonato do Galo

Por Da Redação 19 Maio 2013, 19h28

O Atlético-MG conquistou o bicampeonato mineiro neste domingo, mesmo tendo perdido para o rival Cruzeiro por 2 a 1, no Mineirão, em Belo Horizonte. A vitória cruzeirense não foi suficiente para evitar o título do rival, já que o primeiro jogo da decisão, semana passada, no Independência, teve triunfo atleticano por 3 a 0. Assim, o maior campeão estadual de Minas Gerais faturou o troféu pela 42ª vez na história.

O resultado foi determinado por três pênaltis marcados pelo árbitro, dois a favor do Cruzeiro e um para o outro lado. Após o resultado confortável conquistado na semana passada, o Atlético-MG só ficaria sem o título se perdesse por três gols de diferença. E, depois de um primeiro tempo com domínio cruzeirense, o time do técnico Cuca voltou atacando mais na segunda etapa e garantiu o título após Ronaldinho Gaúcho marcar o gol aos 32 minutos.

Os dois pênaltis convertidos pelo Cruzeiro no primeiro tempo deram esperança à torcida, que era maioria no Mineirão – o mando de campo era cruzeirense, o que levou apenas seis mil atleticanos ao estádio. O time do técnico Marcelo Oliveira começou dificultando a saída de bola do Atlético-MG e manteve-se no ataque a maior parte da primeira etapa.

Foram várias as chances do Cruzeiro no início da partida. A equipe teve a primeira boa oportunidade do jogo aos nove minutos, quando Borges recebeu de Dagoberto, invadiu a área pela direita e bateu para boa defesa de Victor.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga Veja Esporte no Twitter

O primeiro gol da partida foi marcado aos 17 minutos. Depois que Gilberto Silva derrubou Dagoberto na área pela esquerda, o árbitro deu pênalti e o próprio Dagoberto partiu para a cobrança. Com chute rasteiro, deslocou o goleiro Victor: 1 a 0.

O Atlético-MG voltou a trazer perigo com Diego Tardelli em diferentes ocasiões. O lance mais marcante aconteceu aos 30 minutos, quando Bernard tocou para Diego Tardelli na entrada da pequena área e o atacante chegou a converter, mas a arbitragem marcou impedimento.

O segundo pênalti a favor do Cruzeiro foi marcado depois que Borges caiu na área num lance com Richarlyson. Dagoberto cobrou novamente, desta vez no canto esquerdo e sem chance de defesa por Victor: 2 a 0.

Continua após a publicidade

Após o intervalo, o Atlético-MG voltou pressionando e prevaleceu no ataque. Foram três cobranças de escanteio antes dos sete minutos do segundo tempo, todas desviadas pela zaga cruzeirense. Pouco depois, Diego Tardelli partiu em velocidade e Fabio salvou o Cruzeiro, se esticando em um chute perigoso de Jô.

Apesar de ter atacado menos que o adversário, o Cruzeiro quase balançou a rede perto dos 20 minutos do segundo tempo. Borges chutou de fora da área e Victor tirou a bola para escanteio. Poucos lances depois, Nilton também trouxe perigo num cruzamento em que Richarlyson conseguiu tirar a bola pela lateral.

O Atlético-MG só conseguiu tranquilidade depois que Luan invadiu a área pela direita e sofreu falta de Léo, aos 32 minutos. Ronaldinho Gaúcho cobrou com o chute preciso no canto esquerdo, enquanto o goleiro Fábio caiu para o outro lado. Gol e alívio para a torcida atleticana.

Após o gol, o time segurou mais a bola no campo de defesa e procurou ganhar tempo trocando passes. Do outro lado, o Cruzeiro ainda tentou com Dagoberto, que ficou caído pela esquerda aos 43 minutos após um carrinho de Luan. Houve empurra-empurra entre atleticanos e cruzeirenses, esquentando o clima em campo. Mas, no final, os conflitos não influenciaram no resultado: o título mineiro de 2013 ficou mesmo com o Galo.

Leia também:

Atlético-MG faz 3 a 0 no Cruzeiro na primeira final

De ‘refugos’ a selecionáveis: a grande virada do Atlético

Dedé veste a camisa do Cruzeiro. Num supermercado

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade