Clique e assine com até 92% de desconto

Atlético-MG e Tupi ficam no empate sem gols

Por Da Redação 15 abr 2012, 18h21

Atlético-MG e Tupi fizeram um jogo burocrático neste domingo, no estádio Radialista Mário Helênio, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro. As duas equipes empataram em 0 a 0, resultado que favoreceu os dois times, com os atleticanos terminando a primeira fase do Estadual na primeira colocação com 29 pontos, enquanto que o time de Juiz Fora ficou em quarto com 17 pontos.

Na sequência do Campeonato Mineiro, Atlético-MG e Tupi voltam se enfrentar já no próximo final de semana, pelas semifinais do Estadual. Como teve a melhor campanha na fase de classificação, o Galo da capital leva vantagem de jogar por dois resultados iguais para chegar à decisão do Mineiro.

O jogo – O empate entre Atlético-MG e Tupi favorecia as duas equipes, mas o Galo da capital e o Galo Carijó iniciaram a partida com muita movimentação, mesmo com o forte calor de Juiz de Fora. A primeira chance de real perigo surgiu aos nove minutos, com o argentino Escudero, que arriscou um arremate da entrada da área, que obrigou o goleiro Rodrigo a fazer grande defesa, para evitar a abertura do marcador.

A resposta do Tupi não demorou, e aos 15, o atacante Ademilson recebeu com total liberdade dentro da área, mas finalizou em cima do goleiro Giovanni, assustando a torcida do Atlético-MG no estádio Mário Helênio. Precisando vencer ou pelo menos empatar para conquistar o título de Campeão Mineiro do Interior e para sacramentar a classificação para as semifinais do Estadual, o Tupi demonstrou muita vontade e superioridade em alguns momentos do jogo.

Após os 30 minutos da etapa inicial, o time atleticano diminuiu o ritmo intenso do começo do jogo e passou a encontrar muitas dificuldades na saída de bola, quase sempre tentando a ligação direta da defesa para ao ataque, facilitando a vida da zaga e do goleiro do Carijó, que trabalharam pouco no primeiro tempo.

Aos 34, o Tupi conseguiu boa trama ofensiva em jogada em velocidade, que terminou com a conclusão de Léo Salino, que desperdiçou uma oportunidade clara de marcar, chutando em cima do goleiro Giovanni, que bem posicionado fez grande defesa para impedir o gol do Carijó. A apatia da equipe visitante irritou o técnico Cuca, que esbravejou muito com seus comandados, exigindo mais velocidade do Galo.

Na volta do Intervalo, o treinador do time da capital tentou solucionar o problema da volta de velocidade do ataque do Atlético-MG, trocando o argentino Escudero pelo atacante Neto Berola. Porém a mudança não surtiu efeito desejado e o Tupi continuou melhor no jogo.

Aos 15, Danilinho fez boa jogada e tocou para Neto Berola. O atacante foi para a linha de fundo pelo lado direito e cruzou para o meio da área. A bola chegou até o lateral Carlos César, que pegou de primeira e mandou por cima do gol de Rodrigo. A resposta veio aos 27, com Jaílton, que dominou na intermediária e bateu forte. A bola saiu pela linha de fundo, passando perto do gol de Giovanni.

Aos 30 minutos um fato chamou a atenção na partida. Com as duas equipes tocando a bola no meio-campo, a torcida presente no Radialista Mário Helênio começou a vaiar os atletas dos dois clubes. Apesar das manifestações do publico, as duas equipes não se incomodaram de tocar a bola até o final do jogo, garantindo o empate que favoreceu Atlético-MG e Tupi.

Continua após a publicidade
Publicidade