Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atlético de Madri exclui torcida envolvida em caso de morte

No domingo, um torcedor do La Coruña foi morto após apanhar e ser jogado no Rio Manzanares antes de partida do Campeonato Espanhol

A direção do Atlético de Madri decidiu banir nesta terça-feira a torcida organizada Frente Atlético e expulsar os sócios do clube envolvidos na briga ocorrida no domingo, no entorno do estádio Vicente Calderón, que culminou na morte de um torcedor do Deportivo La Coruña. A equipe adversária, por sua vez, tomou uma atitude mais branda: o La Coruña fechará de forma simbólica a arquibancada usada pelos integrantes da torcida Riazor Blues nos próximos dois jogos em casa, contra o Málaga, um deles válido pela Copa do Rei, nesta quarta-feira, e outro pelo Campeonato Espanhol, no sábado.

Leia também:

Madri: torcedor é jogado em rio e morre; vídeo mostra briga

Argentina conta mais uma vítima da selvageria das torcidas

Plano para combater selvageria no futebol não sai do papel

O torcedor Francisco Javier Romero Taboada morreu por causa de lesões generalizadas, incluindo traumatismo craniano, provavelmente causado após ser agredido por uma barra de ferro, segundo a autópsia. Ele tinha 43 anos e era pai de um menino. Taboada ficou ferido durante a briga – combinada entre as organizadas através das redes sociais – e arremessado no Rio Manzanares, que corre bem ao lado do estádio do Atlético. A polícia prendeu 21 envolvidos na briga, doze deles do Riazor Blues, seis da Frente Atlético, dois dos Bukaneros e um do Alkor Hooligans, conforme detalhou na segunda-feira o secretário de Estado de Segurança, Francisco Martínez.

“O clube tomou a decisão de excluir como torcida oficial a Frente Atlético, com o efeito de cessar qualquer relação com dito grupo”, afirmou o Atlético de Madri em comunicado após uma investigação da polícia confirmar a participação dos torcedores no episódio. O atual campeão espanhol tomará a mesma atitude caso novos sócios sejam identificados no inquérito aberto pelas autoridades espanholas. Além disso, afirmou que impedirá a exibição de cartazes ou símbolos da organizada dentro do estádio Vicente Calderón.

A direção do Atlético não informou de forma clara no comunicado se torcedores ligados à Frente Atlético serão proibidos de assistir aos jogos em casa se não estiverem usando camisas ou bandeiras da organizada. O presidente do Deportivo, Tino Fernández, anunciou que para o jogo de sábado contra o Málaga venderá ingressos a 1 euro (3,18 reais) para que o estádio se transforme em “uma manifestação com grande espírito esportivo e social exemplar”. Fernández exigiu também que as autoridades não descansem até prender os responsáveis do assassinato de domingo em Madri para que o crime não fique impune.

(Com agência EFE)