Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atletas jovens são peças-chave para recomeço da seleção

Dunga deverá investir no amadurecimento de seus jogadores mais talentosos

O fracasso da seleção brasileira na última Copa do Mundo pode ser justificado, entre vários fatores, pela ausência de grandes referências na equipe do técnico Luiz Felipe Scolari. Com jogadores muito jovens como protagonistas, o time, desfalcado de Neymar e Thiago Silva, sucumbiu ao ser confrontado com o experiente time alemão nas semifinais. O que se pode tirar de positivo, porém, é o fato de a seleção brasileira não ter de passar por uma renovação tão drástica no próximo ciclo, que será iniciado nesta sexta-feira, sob o comando de Dunga, contra a Colômbia, em Miami, nos Estados Unidos.

Leia também:

Segunda era Dunga começa com adversários complicados

Titulares confirmam que Dunga não quer centroavante fixo​

Dunga escala oito que jogaram a Copa em seu time titular​

Os seis desafios espinhosos de Dunga na volta à seleção

David Luiz acredita que ‘o gigante caiu, mas já se levantou’

O craque absoluto da equipe seguirá sendo Neymar. Espera-se que o atacante de 22 anos amadureça cada vez mais na equipe nacional. O astro do Barcelona, porém, não estará sozinho. Outros talentosos jogadores de sua faixa etária tendem a ganhar mais espaço no time de Dunga e chegarão à Rússia em 2018 com a idade ideal – vale lembrar que a tetracampeã Alemanha bateu na trave em duas Copas até conquistar o título no Maracanã com uma equipe que mesclou juventude e experiência com perfeição. Se as opções em alguns setores seguem escassas, Dunga parece preocupado em modernizar o esquema da seleção brasileira, com jogadores mais técnicos e participativos. Alguns deles devem ser fundamentais no recomeço da seleção pentacampeã.