Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Arthur Zanetti erra na final e fica sem medalha nas argolas

Ídolo da ginástica brasileira arriscou movimento e desperdiçou chance de conquistar inédito terceiro pódio; ouro ficou com o chinês Liu Yang

Por Da Redação Atualizado em 2 ago 2021, 09h40 - Publicado em 2 ago 2021, 05h32

Medalhista de ouro em Londres-2012 e de prata na Rio-2016 nas argolas, o ginasta brasileiro Arthur Zanetti não conseguiu repetir o pódio na Arena Ariake, sede da modalidade nos Jogos de Tóquio, na madrugada desta segunda-feira, 2.

Primeiro a se apresentar, o atleta de 31 anos sofreu uma queda ao tentar sair do exercício com um triplo mortal, o que prejudicou sua nota e o impediu de entrar para a história como o primeiro ginasta a conquistar três medalhas nas argolas em edições olímpicas diferentes.

  • A medalha de ouro ficou com o chinês Liu Yang, com nota de 15.500, seguido pelo compatriota Hao You (15.300), que levou a prata. O grego Eleftherios Petrounias, que defendia o título conquistado na Rio-2016 e era o principal favorito em razão de seus resultados no último ciclo olímpico, ficou com o bronze (15.200).

    Zanetti chegou à final com a quinta melhor nota da semifinal (14.900) e foi para o tudo ou nada na abertura da final. Depois de uma ótima apresentação nas argolas, ele arriscou um triplo mortal, mas não conseguiu cair de pé. Ele deixou o tablado com um sorriso e foi abraçado por seu treinador Marcos Goto. Com nota de 14.133, o brasileiro terminou a final na oitava e última colocação. 

    “Nós fizemos o nosso papel em 2012, e o que viesse depois de lá era lucro. Fomos para o tudo ou nada, aumentamos nossa expectativa, e era uma saída muito difícil. Tentamos, mas não deu certo. Se a gente acertasse, a chance de pódio era grande”, disse Zanetti à Rede Globo.”

    O atleta de São Caetano (SP) não quis traçar planos para o futuro e disse que só pensa em reencontrar o filho. “Agora não penso em mais nada, só quero dar uma relaxada na cabeça e no corpo.”

    Caio Souza é oitavo no solo

    O brasileiro Caio Souza também se despediu dos Jogo de Tóquio na oitava posição de uma final, mas do solo. O ginasta de 27 anos sofreu uma queda no segundo voo e terminou com média 13,683 pontos. A medalha de ouro foi para o sul-coreano Shin Jeahwan, seguido pelo russo Denis Abliazin e pelo armênio Artur Davtyan.

    “Óbvio que todo mundo quer ganhar medalha, mas só existem três lugares no pódio. Estou muito feliz com toda a minha participação. Primeiros Jogos, duas finais. Até ontem ainda tinha uma pulguinha atrás da orelha se iria saltar ou não, porque acabei sentindo o meu pé no individual geral. Foram quatro dias de tratamento, com fisioterapia e gelo, para conseguir estar aqui hoje. Encerro minha participação muito feliz.
    Agora é voltar para casa, dar uma descansada. E ainda temos o Brasileiro, o Mundial daqui dois meses no Japão. É voltar para casa, descansar e voltar a trabalhar”, afirmou Caio ao COB.

    Caio Souza se disse satisfeito com sua participação no Japão
    Caio Souza se disse satisfeito com sua participação no Japão Lionel Bonaventure/AFP
    Continua após a publicidade
    Publicidade