Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Arenas da Copa podem ser usadas para o UFC no Brasil

<p>Diretor do torneio diz que Maracanã pode ser usado para sediar grandes lutas</p>

Por Pollyane Lima e Silva, do Rio de Janeiro Atualizado em 11 jan 2022, 21h14 - Publicado em 4 ago 2013, 03h48

Depois de uma noite com a HSBC Arena, no Rio de Janeiro, bastante esvaziada, o UFC revela que pensa em trazer de volta para o Brasil alguns de seus eventos grandiosos. Para isso, eles estão até de olho nos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014. “Teríamos que ter um card muito bom, mas tenho certeza que o Dana (White) adoraria fazer isso”, revelou Marshall Zelaznik, o diretor que substituiu o presidente do torneio na coletiva de imprensa após as lutas do UFC Rio 4, ou número 163, na madrugada deste domingo.

Zelaznik adiantou que já foi conhecer o novo Maracanã, no Rio de Janeiro, e ficou muito satisfeito com o que viu. “Um grande evento ali seria impressionante”, comentou, acrescentando que a nova arena do Palmeiras, em São Paulo, também pode ser uma boa alternativa. “Ainda não temos um plano imediato, mas temos certeza de que esses novos estádios nos ajudarão a trazer mais eventos diferenciados para o Brasil.”

Leia também:

José Aldo vence o Zumbi Coreano por nocaute

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Em duelo brasileiro, Mutante leva a melhor

Na 1ª luta feminina no país, vitória da brasileira

Por enquanto, o que está confirmado é o UFC Belo Horizonte, no próximo dia 4 de setembro, que terá como luta principal o brasileiro Glover Teixeira contra o americano Ryan Bader. Segundo o diretor, se Glover vencer ganhará o direito de desafiar o campeão dos meio-pesados, Jon Jones. Este ano, lembra Zelaznik, há outros dois eventos para serem realizados no Brasil – ainda sem data marcada. Para 2014, o desafio será manter sete competições no país, apesar do Mundial de futebol e das eleições presidenciais.

Dana White não estava presente para colocar o cinturão de campeão dos penas de volta em José Aldo. Alegou outros compromissos profissionais. Mas Zelaznik contou que recebeu mensagens durante toda a noite do presidente, que também comentou as principais lutas em seu perfil no Twitter. “É brutal que o ombro do Zumbi (Coreano) saia do lugar durante a luta!!!”, exclamou, referindo-se à lesão do oponente do brasileiro.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

  • Dana White, o chefão do UFC
  • As ring girls no UFC São Paulo
  • UFC: a ring girl Arianny Celeste na praia, no Rio
  • UFC SP: o que você não viu na TV
  • UFC: Anderson Silva em fotos exclusivas para VEJA
  • UFC Rio 3: o que você não viu na TV
  • UFC Rio 3: por dentro do evento
  • Ronda Rousey, a nova musa do UFC
  • UFC: Anderson Silva x Chael Sonnen
  • No octógono com Júnior Cigano, campeão do UFC
Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade