Clique e assine com até 92% de desconto

Arena Pantanal tem seu jogo inaugural adiado. Pela 6ª vez

Abertura deveria ter ocorrido em dezembro de 2012. Valcke visita local na quarta

Por Da Redação 22 abr 2014, 10h50

As cadeiras do estádio de Cuiabá são um problema desde outubro do ano passado. Naquele mês, o Ministério Público Estadual questionou o contrato, constatando irregularidades

A inauguração da Arena Pantanal, em Cuiabá, foi adiada mais uma vez. O atraso na instalação das cadeiras fez com que o governo do Mato Grosso desistisse de tratar a partida entre Luverdense e Vasco, no sábado, como evento oficial de abertura do estádio – o jogo acontecerá, mas como teste preliminar, pré-inauguração. A previsão é que mais de 3.000 assentos ainda não estejam instalados até o fim de semana, quando ocorre o jogo válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. O novo adiamento engrossa a lista de frustrações causadas pela demora na instalação das cadeiras. A previsão original era de uma inauguração em dezembro de 2012. Os atrasos foram se acumulando, e o prazo considerado final, outubro de 2013, também foi deixado de lado.

Leia também:

Em 2007, Valcke foi pago por Fifa e CBF ao mesmo tempo

Valcke visita os estádios mais atrasados, em SP e Curitiba

Continua após a publicidade

No 1º teste, o estádio de Cuiabá revela falhas e improvisos

​​No 1º de abril, relembre as grandes mentiras sobre a Copa

De lá para cá, os meses de fevereiro, março e abril deste ano chegaram a ser anunciados como limites para a inauguração, mas todas essas promessas acabaram sendo descumpridas. Agora, a Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo (Secopa) do Mato Grosso garante: na segunda semana de maio a Arena Pantanal estará enfim pronta. O novo adiamento da inauguração oficial, porém, vem em péssima hora, na véspera de uma visita do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. As cadeiras do estádio de Cuiabá são um problema desde outubro do ano passado. Naquele mês, o Ministério Público Estadual questionou o contrato entre a administração do estádio e a empresa responsável pela fabricação dos assentos, constatando irregularidades na escolha das especificações do produto.

O acordo inicial era de 19,6 milhões de reais por 44.000 cadeiras, valor muito superior ao que foi pago pelos assentos do Estádio Mané Garrincha, o mais caro da Copa, com 72.000 assentos fabricados por 11 milhões de reais. O custo total do palco mato-grossense da Copa do Mundo foi fixado em 570 milhões de reais e as obras, segundo o balanço do governo, estão 98% concluídas. Além do duelo entre Luverdense e Vasco, o estádio ainda receberá outros dois jogos antes da Copa. No feriado de 1º de maio, o Cuiabá recebe o Internacional pela segunda fase da Copa do Brasil, em novo evento-teste. O primeiro jogo oficial com o estádio totalmente pronto deverá ser o embate entre Flamengo e Bahia, no dia 21 de maio, pelo Campeonato Brasileiro.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade