Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Após vitória na raça, Luxemburgo define: Tem que ser por aí

<p>Empatado com o Bahia no placar até os 42 minutos do segundo tempo, o Grêmio construiu a vitória que o recolocou no G-4 do Campeonato Brasileiro com Souza e Marcelo Moreno em um intervalo de apenas cinco minutos. Experiente nessa competição, o técnico Vanderlei Luxemburgo garantiu que já esperava por dificuldades e que a vitória […]</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 22h45 - Publicado em 5 ago 2012, 19h28

Empatado com o Bahia no placar até os 42 minutos do segundo tempo, o Grêmio construiu a vitória que o recolocou no G-4 do Campeonato Brasileiro com Souza e Marcelo Moreno em um intervalo de apenas cinco minutos. Experiente nessa competição, o técnico Vanderlei Luxemburgo garantiu que já esperava por dificuldades e que a vitória credencia o Tricolor a brigar pelo título.

O objetivo a princípio era apenas a vaga na Libertadores de 2013, mas o modo como a equipe se ajeitou após as chegadas de Elano e Zé Roberto ao meio-campo animou o treinador para a sequência do Brasileirão. ‘Isso é time que quer conquistar alguma coisa. Somos o segundo time com maior número de vitórias, atrás só do Atlético-MG (e empatado com o Vasco). Fomos atrás da vitória contra o Bahia e tem que ser por aí’, definiu o comandante.

‘Se eu não fizer gol no finalzinho é melhor que meu adversário não faça, mas nesse campeonato por pontos corridos o que decide mesmo é o número de vitórias, primeiro critério de desempate, e a raça. Tem que jogar pela vitória, criar essa coisa no jogador, da busca de se expor. Quando o Bahia empatou, nosso time ficou exposto. Temos que contar com erro do adversário e conseguimos a vitória’, relatou Vanderlei Luxemburgo, descrevendo a vitória por 3 a 1 no Olímpico.Sem comentar os erros de arbitragem alegados pelo adversário Caio Júnior, o comandante do Grêmio preferiu enaltecer a própria atitude ao deslocar Pará para a lateral direita e anular a única boa opção ofensiva do Bahia no segundo tempo: Lulinha. ‘Ele colocou um jogador em cima Edílson, que não tem marcação tão boa, e eu tomei prejuízo. Aí botei um descansado, espacei a equipe deles e ganhei. Eu acho que a substituição deu certo, porque conseguimos jogar o Bahia para trás’.

Depois da vitória sobre o Bahia e da quarta colocação roubada do rival Inter, que triunfou fora de casa diante do Palmeiras, o Tricolor Gaúcho volta a campo na próxima quinta-feira, no estádio Moisés Lucarelli, para enfrentar a Ponte Preta pela 15rodada do Campeonato Brasileiro.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade