Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Após polêmica, Leonardo deixa o cargo de diretor do PSG

Suspenso por um ano depois de confusão com árbitro, o brasileiro renunciou

Por Da Redação 10 jul 2013, 08h24

Não fosse a suspensão, Leonardo poderia ter assumido o cargo de Carlo Ancelotti, que era o técnico do PSG até a temporada passada mas agora está no Real Madrid

O ex-jogador e técnico Leonardo, que vinha trabalhando como diretor esportivo do Paris Saint-Germain, renunciou ao cargo nesta quarta-feira. A informação foi divulgada por um canal de TV francês que pertence ao xeque Nasser al-Khelaifi, o dono do clube parisiense. A emissora não deu detalhes sobre a decisão do ex-jogador. Na reta final da última temporada, rumores davam conta de que Leonardo poderia ser demitido do PSG – ele estaria inclusive acertando seu retorno à carreira de treinador, possivelmente na Itália. Recentemente, no entanto, o dirigente brasileiro passou a receber o apoio público do clube depois de uma controversa punição – ele foi suspenso por um ano pela Federação Francesa de Futebol (FFF) sob a acusação de ter empurrado um árbitro. Leonardo negou ter praticado a agressão. O PSG disse estar do lado do brasileiro no caso. O castigo fez com que o trabalho de Leonardo ficasse praticamente inviável, já que a suspensão significava seu afastamento de todas as atividades ligadas ao futebol.

Leia também:

No título do PSG, briga entre Leonardo e Ibra; veja o vídeo

Leonardo pede a namorada em casamento na TV; assista

Inicialmente, Leonardo havia sido suspenso por nove meses, período em que não poderia, por exemplo, entrar no vestiário nas partidas do clube nem assinar documentos em nome do PSG. O clube recorreu da decisão mas a pena acabou ficando ainda maior – o brasileiro não apareceu diante da corte de apelação e acabou tendo sua suspensão ampliada para um ano. Leonardo disse que estava negociando um reforço para o PSG, o que irritou profundamente os integrantes da corte, já que a suspensão estava valendo e o diretor não poderia estar exercendo a função. Não fosse a suspensão, Leonardo poderia ter assumido o cargo de Carlo Ancelotti, que era o técnico do PSG até a temporada passada mas agora está no Real Madrid. Impossibilitado de trabalhar, o brasileiro, que já treinou Milan e Inter, viu Laurent Blanc assumir o posto. No episódio da confusão com o árbitro, o dono do clube precisou conter o dirigente. Não se sabe se o cartola resistiu à renúncia de Leonardo ou se acabou aprovando a saída de seu diretor esportivo.

(Com agência EFE e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade