Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Após pênalti, Adilson e Rogério defendem Luís Fabiano

Por Da Redação - 6 out 2011, 12h24

Por AE

São Paulo – Luís Fabiano contou com o apoio do técnico Adilson Batista e do goleiro Rogério Ceni, capitão do São Paulo, depois de desperdiçar um pênalti na partida contra o Cruzeiro, na noite de quarta-feira. A penalidade foi a melhor chance de gol do atacante no segundo jogo desde o seu retorno ao clube.

Com a oportunidade perdida, o time paulista empatou por 3 a 3, em Sete Lagoas, e Perdue a chance de desbancar o rival Corinthians da vice-liderança da tabela. Adilson Batista, porém, minimizou o lance. “A gente sabe do potencial do atleta. É talentoso e nosso time vai ganhando com ele ali na frente. Contra o Cruzeiro, o Luís já teve uma evolução bem melhor. Por mais que seja experiente, esta vontade de fazer o gol é normal. Vai sair no momento certo”, comentou.

Cobrador oficial de pênaltis no São Paulo, Rogério Ceni disse não ter se arrependido de ter cedido a chance ao atacante. “Ele me disse que queria bater. Pênalti, só erra quem bate. No meu desejo, queria que ele fizesse o gol para ganharmos mais confiança. Se tiver outra cobrança daqui para frente, ele vai cobrar novamente. Não deixamos de ganhar a partida pelo pênalti perdido”, opinou.

Publicidade