Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após início discreto, Diego Cavalieri opera milagres no Flu

Depois de superar as falhas e se garantir como titular, goleiro brilha em 2012

Por Da Redação - 11 nov 2012, 18h08

No começo de 2012, enfim voltou ao time titular e, com excelentes jogos e defesas importantíssimas – especialmente em cobranças de pênalti, uma de suas especialidades -, foi eleito o melhor goleiro do Campeonato Carioca

Depois de fazer excelentes atuações pelo Palmeiras, ocupando o lugar do velho ídolo Marcos, o goleiro Diego Cavalieri, formado nas bases do clube paulista, aceitou trocar o futebol brasileiro pelo inglês e assinou contrato com o Liverpool, em uma transação de cerca de 10 milhões de reais. Depois de um ano e meio sem conseguir se destacar na Europa, Cavalieri decidiu voltar ao Brasil no fim de 2010, para defender as cores do Fluminense. O goleiro de 1,91 metro e 29 anos não teve um bom começo em seu retorno ao futebol brasileiro. Pouca gente pensava que ele seria capaz de resolver o problema do gol do Flu.

Leia também:

Fluminense, campeão brasileiro: tetra garantido com folga

Fred, comandante da conquista: experiência e muitos gols

O tetra comprova: valeu a pena esperar pela volta de Abel

Diego continuou trabalhando, superou as falhas, conquistou espaço no time titular e, por fim, ganhou a confiança do torcedor, operando milagres na campanha vitoriosa da equipe nesta temporada (um deles na vitória decisiva deste domingo, quando o jogo contra o Palmeiras estava empatado em 2 a 2 e o time paulista só não virou por causa do camisa 12). Cavalieri encerra o ano em situação tão boa – e com um papel tão decisivo para a conquista dos cariocas – que se juntou a Fred na reivindicação dos torcedores do Flu em relação às listas de convocados para a seleção. Hoje, parece não estar muito perto disso. Mas é bom não descartar de vez o jogador, que já mostrou enorme poder de recuperação em seu retorno ao Brasil. Contratado para ser titular no Fluminense, não conseguia roubar a posição de Ricardo Berna.

Cavalieri cometeu algumas falhas em seus primeiros jogos no clube e sofreu com a desconfiança da torcida. No começo de 2012, enfim voltou ao time titular e, com excelentes jogos e defesas importantíssimas – especialmente em cobranças de pênalti, uma de suas especialidades -, foi eleito o melhor goleiro do Campeonato Carioca, torneio que o Fluminense venceu. As boas atuações o fizeram ser cotado para um lugar na seleção brasileira. Desde que estreou no comando da equipe principal, Mano Menezes já testou doze goleiros, mas nenhum deles conseguiu se firmar na posição. Jefferson, do Botafogo, e Diego Alves, do Valencia, são os favoritos do treinador no momento com vistas à Copa do Mundo de 2014. Quem sabe Diego Cavalieri não repete o que fez no Fluminense e deslancha na reta final?

Continua após a publicidade
Publicidade