Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Após fazer gol da vitória, Brandão fala em força do grupo gremista

Por Da Redação - 6 out 2011, 10h15

No Olímpico se busca incessantemente um homem capaz de marcar gols em quantidades industriais. A falta desse jogador influi na produtividade ofensiva do time, a terceira pior do Campeonato Brasileiro. Desde a saída de Jonas, no começo da temporada, há a ausência de alguém capaz de ir às redes com a constância desejada.

Na metade de 2011, a direção fez mais uma aposta na tentativa de achar um substituto para o atual atacante do Valencia, da Espanha. Os dirigentes contrataram Brandão, de passagem pouco elogiada no Cruzeiro. Sua rotina em Porto Alegre não tem sido muito diferente da vivida em Belo Horizonte.

Agora titular, o centroavante tenta conquistar o seu espaço. Foi dele o gol na vitória por 1 a 0 sobre o Santos, na quarta-feira. Nada que o faça sentir dono de um lugar no time.

‘Não me garanto, não. É um grupo. Todos formam um grupo. Todos têm qualidade para entrar e fazer o seu melhor’, comentou.

Publicidade

Ainda há muito a ser feito. Sua reputação não é boa com os torcedores. Na véspera da partida contra o Peixe, ele foi vaiado após errar um chute no treinamento. O descontentamento da torcida irritou o goleiro Victor e fez o técnico Celso Roth cogitar fechar os próximos treinos.

‘Estou fazendo o meu melhor sempre. A cada dia estou ocupando o meu espaço. O importante é o grupo. Todos estão marcando e se doando. É hora de manter a tranqulidade’, explicou Brandão, atacante que joga na retranca na hora das entrevistas.

Apesar de ter saído em defesa de seu atleta, Roth ainda não está totalmente satisfeito com o rendimento do atacante. ‘Ele teve outras oportunidades e precisa melhorar’, ponderou o treinador.

Antes de marcar o gol, o camisa 9 teve duas oportunidades. Uma delas frente a frente com o goleiro Rafael. Ao tentar driblá-lo, Brandão desperdiçou a chance de marcar. ‘Tive a oportunidade e decidi driblar o Rafael e ele foi bem. Ele teve a felicidade de defender essa primeira bola’, lamentou. Entre erros e acertos, Brandão vai seguindo sua vida no Olímpico.

Publicidade