Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após derrota, Leão descarta poupar time no clássico

Por Da Redação 7 jun 2012, 13h44

Por AE

São Paulo – Após a derrota por 1 a 0 para o Internacional, sofrida na noite da última quarta-feira, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Emerson adiantou que não pretende poupar nenhum jogador no clássico deste domingo, contra o Santos, às 16 horas, no Morumbi, pela quarta rodada da competição nacional.

O treinador disse que a atuação decepcionante na capital gaúcha o obriga a escalar o que terá de melhor à disposição diante dos santistas, até porque ele terá desfalques de peso, como o atacante Luis Fabiano, que levou o terceiro cartão amarelo contra o Inter. Além disso, o comandante não contará com o volante Casemiro, o meia-atacante Lucas e o zagueiro Bruno Uvini, que estão com a seleção brasileira que enfrentará a Argentina neste sábado, em amistoso nos Estados Unidos.

“Depois de uma derrota, não tem como pensar em poupar. Tem de colocar todo mundo”, adiantou o treinador, que criticou o desempenho ofensivo da equipe. “O jogo foi igual, tivemos até mais o domínio de bola. Mas quando tivemos a oportunidade de fazer o gol, não fizemos, que foi uma chance com o Fernandinho. Não foi uma partida do nível e tradição das equipes. Foi abaixo das expectativas”, completou Leão.

O comandante ainda mostrou irritação ao comentar o cartão tomado por Luis Fabiano, advertido por reclamação com o árbitro. Questionado se o temperamento explosivo do jogador voltou a irritá-lo, ele rebateu: “É desagradável ter de responder essa pergunta toda entrevista. Ele errou. Vocês (jornalistas) que acompanham (o dia a dia do São Paulo) sabem o quanto eu falo para não fazer isso. Não dá para tomar cartão por reclamação todo jogo. Passou da conta e algo tem de ser feito”.

Leão falou sobre a possibilidade de poupar jogadores no clássico de domingo pelo fato de que, na próxima quinta-feira, também no Morumbi, o São Paulo enfrentará o Coritiba no duelo de ida da semifinal da Copa do Brasil. Porém, como o time já amarga vários desfalques e somou apenas três pontos em três rodadas neste Brasileirão, o comandante se vê forçado a escalar força total diante do Santos.

Continua após a publicidade
Publicidade