Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após críticas públicas, time se reúne com Leão e admite má atuação

Após a derrota para o Inter, na quarta-feira, Emerson Leão apontou até individualmente os erros da equipe. Nessa sexta-feira, foi a vez de os titulares, que tiveram folga no dia anterior, se reunirem por cerca de 30 minutos com o chefe. E quase todos admitiram: a atuação no Beira-Rio foi aquém da possível.

‘Tivemos uma reunião de rotina e chegamos à conclusão, por opinião individual deles, que mais de 50% do grupo não estiveram bem, por isso pagamos muito caro com a derrota’, apontou o treinador. As informações no CT da Barra Funda são de que oito atletas assumiram a má jornada em Porto Alegre.

Os criticados individualmente pelo comandante foram Fernandinho, por perder chance clara, Douglas, por errar passes demais, e principalmente Cortez, que preferiu dominar uma bola na entrada da área em vez de afastar e acabou derrubando Nei, cometendo a falta que definiu o placar por 1 a 0 favorável ao Colorado.

Segundo Leão, tudo que foi dito em sua entrevista já havia sido relatado aos jogadores. ‘Às vezes você tem que falar, não pode ficar escondendo uma realidade que é interessantíssima quando o atleta sabe dela. Faz parte da nossa obrigação ajudá-lo a descobri-la. E, quando se torna pública, é porque os atletas já estão carecas de saber.’

O técnico, que em outros clubes já havia adotado a medida de críticas públicas, espera que seu elenco entenda a dimensão de atuar pelo Tricolor. ‘A cobrança tem que ser maior porque em um time grande e de grande tradição como o São Paulo a cobrança é maior, mas o retorno também. O seu status é do tamanho de sua responsabilidade’, ensinou.

Desta forma, exige evolução coletiva e individual não só pensando na primeira semifinal da Copa do Brasil, nesta quinta-feira, diante do Coritiba no Morumbi, mas também no Campeonato Brasileiro. O São Paulo somou apenas três pontos em três rodadas e espera recuperação já neste domingo, contra o Santos.

‘Em um campeonato longo, a regularidade tem que ser alta para uma equipe grande. A equipe grande não luta para não cair, mas para conquistar o campeonato. E um aproveitamento acima dos 60% está dentro do contexto’, cobrou o chefe.