Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após boicote, jogadores entram em acordo com a NBA para retomar playoffs

Atletas, liga e donos de franquias, como Michael Jordan, se comprometeram a investir em medidas em prol de justiça social e igualdade racial

Por Danilo Monteiro - 28 ago 2020, 14h53

Os playoffs da NBA serão retomados a partir deste sábado 29, depois do boicote das equipes nos últimos dias, em protesto contra o racismo e a violência policial contra negros nos Estados Unidos. Os jogadores voltarão às quadras porque a direção da liga e os donos das franquias aceitaram colaborar mais com ações de justiça social e igualdade racial.

“Tivemos uma conversa franca, apaixonada e produtiva com os jogadores, treinadores e representantes das equipes sobre os próximos passos para promover esforços coletivos e ações de apoio à justiça social e igualdade racial. Jogadores e representantes de todas as 13 franquias que estão em Orlando participaram e concordaram em retomar os playoffs no sábado”, comunicou a NBA.

A Associação dos Jogadores (NBPA) tomou a frente das negociações para defender o desejo dos atletas que estão na “bolha” da Disney, em Orlando. Foram duas reuniões entre os jogadores, incluindo uma votação geral para definir se voltariam às quadras, antes da definição das demandas que levariam para os donos das franquias e diretores da liga.

A preocupação dos jogadores em permanecer jogando era a de não contribuir o bastante para o combate à violência policial e desviar o foco de um momento importante no país. O estopim para o boicote foi o caso de Jacob Blake, um homem negro de 29 anos que foi baleado sete vezes pelas costas, na frente de seus filhos, por policiais da cidade de Kenosha, em Wisconsin.

Jogadores e dirigentes se comprometeram a buscar maneiras de combater o racismo e as injustiças sociais. Michael Jordan, dono do Charlotte Hornets, se propôs, inclusive, a ser um elo entre os atletas e os proprietários das franquias na negociação. O acordo veio após o estabelecimento de um pacto entre as partes pela justiça social, ampliando o acesso ao voto, propondo ações de engajamento cívico e de reforma da polícia e justiça criminal americana.

Confira as medidas acordadas entre jogadores e dirigentes da NBA:

1 – A NBA e seus jogadores concordaram em estabelecer imediatamente um pacto pela justiça social, com representantes dos atletas, técnicos e administradores das franquias, que se concentrará numa ampla gama de pontos, incluindo ampliar o acesso ao voto, a promoção do engajamento cívico e a defesa de uma reforma significativa da polícia e da justiça criminal.

2 – Em todas as cidades onde as franquias da liga possuem e controlam suas arenas, os administradores continuarão a trabalhar com autoridades eleitorais locais para disponibilizar suas instalações como locais de votação para as eleições gerais de 2020, permitindo assim uma opção de voto pessoal seguro para comunidades vulneráveis ​​ao COVID-19. Se o prazo para essa solicitação tiver expirado, os representantes das equipes trabalharão com as autoridades locais para encontrar outras formas de uso das instalações, incluindo, mas não se limitando, ao registro de eleitores e como pontos de de recebimento de cédulas.

3 – A liga trabalhará com atletas e parceiros para criar e incluir anúncios em cada jogo dos Playoffs da NBA, dedicados a estimular e promover maior engajamento cívico nas eleições nacionais e locais, a fim de aumentar a conscientização sobre o acesso e as oportunidades dos eleitores.

Continua após a publicidade
Publicidade