Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após Beyoncé e apagão, Baltimore vence o Super Bowl

Time abriu vantagem e sofreu pressão do San Francisco 49ers no final, mas levou a melhor por 34 a 31. Estádio ficou parcialmente no escuro por 35 minutos

Em uma noite marcada por um apagão elétrico que interrompeu a final do futebol americano por 35 minutos, o Baltimore Ravens venceu pelo placar 34 a 31 o San Francisco 49ers e conquistou o 47º Superbowl no estádio Superdome, em Nova Orleans – foi o segundo título da equipe em sua história.

Leia também:

Super Bowl, hora de vender carros pela televisão

O jogo, considerado o principal evento esportivo dos Estados Unidos e que é assistido por mais de cem milhões de pessoas pela televisão, teve uma batalha inédita entre os irmãos John e Jim Harbaugh, respectivamente técnicos de Ravens e 49ers, e entre os quarterbacks Joe Flacco e Colin Kaepernick, comandantes dos ataques e que fizeram uma temporada fantástica na NFL.

Os Ravens começaram com força total, logo anotaram um touchdown, abrindo 7 a 0 após o ponto extra, e seguiram abrindo vantagem. Kaepernick e seu ataque tentaram dar o troco na campanha seguinte, mas só conseguiram avançar as jardas suficientes para anotar um field goal, devolvendo a bola para os Ravens ampliarem o placar, que termiou 21 a 6 no intervalo.

Depois do eletrizante show da cantora Beyoncé, os 49ers começaram o terceiro quarto em ritmo acelerado. Mas primeiro ataque ficou a cargo dos Ravens, que fizeram história: um retorno de 108 jardas para touchdown de Jacoby Jones, uma jogada incrível, a mais longa da história do Super Bowl, que deu ao time de Baltimore a vantagem de 28 a 6 no placar. O quarterback do San Francisco, Colin Kaepernick, começou a dar o troco e lançou seu wide receiver Michael Crabtree, que colocou o atordoado 49ers de novo na partida.

Bleacaute- Logo depois, algo imprevisto aconteceu: a energia do Superdome acabou, um fato inusitado para um evento de tal porte nos Estados Unidos. Depois de mais de meia hora, a partida foi reiniciada. O terceiro quarto recomeçou morno, com ambas as equipes perdendo campanhas onde prevaleceram as defesas, até que faltando sete minutos para o final os 49ers conseguiram um touchdown pelas mãos de Crabtree, após jogada aérea de 31 jardas de Kaepernick.

O 49ers, então, entraram de vez no jogo e F. Gore marcou mais um touchdown, levando o placar para 28 a 20. A maré continuou a favor do time da costa oeste quando os Ravens, logo na campanha seguinte, perderam a bola e deixaram a torcida de Baltimore preocupada.

Com o placar em 28 a 23 para o Baltimore, o último quarto começou e logo a vantagem aumentou três pontos. Porém os 49ers conseguiram avançar e marcar mais um touchdown, deixando a disputa em 31 a 29 e indicando a virada mesmo com os Ravens conseguindo mais três pontos. A partida entrou em sua reta final com os 49ers com a posse de bola, faltando menos de quatro minutos e precisando de um touchdown.

A jogada decisiva veio quando Kaepernick lançou Michael Crabtree na zona de pontuação, mas ele não alcançou a bola. O técnico Jim Harbaugh reclamou de uma segurada em Crabtree, mas os juízes não marcaram nenhuma irregularidade. Com tudo a favor, os Ravens foram para sua última campanha e, em um lance de inteligência, aceitaram um safety – uma marcação de dois pontos para o adversário – e com isso tiveram a devolução da posse de bola. Não havia mais tempo aos 49erse Baltimore comemorou o título.

Beyoncé e Destiny's Child se apresentam no intervalo do 47º Super Bowl Beyoncé e Destiny’s Child se apresentam no intervalo do 47º Super Bowl

Beyoncé e Destiny’s Child se apresentam no intervalo do 47º Super Bowl (/)

Show do intervalo – O tradicional espetáculo do intervalo do Super Bowl foi comandado pela cantora Beyoncé, que incendiou o Superdome de Nova Orleans ao lado do Destiny’s Child, seu antigo grupo musical. Depois de ter causado polêmica por causa de sua interpretação do hino nacional com dublagem na posse do presidente Barack Obama, Beyoncé desta vez cantou ao vivo, deixando satisfeito o público presente no estádio e em milhões de lares americanos.

Ela já tinha prometido cantar ao vivo em entrevista coletiva prévia à partida final, quando – para não deixar dúvida sobre seu talento vocal – cantou ao vivo o hino nacional para os jornalistas. Na noite deste domingo, Beyoncé tratou de afastar de vez a lembrança do playback na posse e literalmente acendeu o Superdome no início do show, quando fogos de artifício formaram sua silhueta.

A cantora saiu com uma roupa preta para interpretar alguns de seus sucessos como Halo, Single Ladies, Crazy in Love, entre outras, sobre um palco formado pelo perfil de seu rosto. A apresentação durou 13 minutos e aconteceu sem contratempos.

(Com agência EFE)