Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após 13 meses na prisão, Breno volta a trabalhar no Bayern

Brasileiro é auxiliar técnico do time juvenil, mas voltará para dormir na cela

O zagueiro brasileiro Breno, ex-jogador do Bayern de Munique, preso em 2012 por provocar um incêndio em sua casa, compareceu nesta segunda-feira pela primeira vez ao novo trabalho como auxiliar técnico do time juvenil. O jogador foi condenado a cumprir uma pena de três anos e nove meses, mas depois de 13 meses recebeu permissão para deixar a prisão algumas horas por dia, voltando para dormir em sua cela. Ele deixa a prisão de Stadelheim às 8h30 e deve retornar às 13h30.

Leia também:

Justiça rejeita recurso e Breno cumprirá sua pena até o fim

Polícia alemã avalia possível curto-circuito no incêndio da casa de Breno

Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais

Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais (/)

“Virei uma pessoa diferente. O período na prisão tem sido duro e estou feliz que o Bayern de Munique tenha me dado essa oportunidade”, disse o jogador, que depois de cumprir a pena será deportado ao Brasil, onde espera retomar a carreira. O novo trabalho foi possível graças a um programa de reabilitação, autorizado pelo serviço de imigração e pela justiça.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Breno foi contratado pelo Bayern de Munique em 2008, quando era jogador do São Paulo, por 12 milhões de euros (quase 38 milhões de reais). Ele sofreu uma lesão no joelho em março de 2010, quando estava emprestado ao Nuremberg, o que provocou uma depressão. No mês passado, o técnico da seleção do Brasil, Luiz Felipe Scolari, pediu uma segunda chance para Breno. O São Paulo já demonstrou interesse em repatriar o jogador, assim que ele receber autorização para retornar ao Brasil.

(Com agência AFP)