Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Apático, São Paulo perde para o Bahia no Morumbi

Com a derrota por 2 a 1, equipe paulista completa sete jogos sem vitória e aprofunda crise; Luís Fabiano e Clemente Rodríguez foram expulsos

Por Da Redação 10 jul 2013, 23h15

O São Paulo conseguiu ampliar sua crise nesta quarta-feira ao completar a sétima partida seguida sem vencer, sendo cinco pelo Campeonato Brasileiro. Cobrada desde o início da partida pelo público de menos de cinco mil pessoas no Morumbi, a equipe – ainda sob o comando interino de Milton Cruz – sofreu a virada do Bahia, 2 a 1, e terminou a partida com dois jogadores a menos: Luis Fabiano e o estreante Clemente Rodríguez foram expulsos no segundo tempo.

Na série negativa, que inclui a derrota para o Corinthians na primeira final da Recopa Sul-americana e o revés em amistoso contra o Flamengo, o time paulista tem empates com Atlético-MG e Grêmio, como visitante, e derrotas para Goiás e Santos, como mandante – além dessa contra o Bahia. O último triunfo foi em 29 de maio, sobre o Vasco, em casa.

Com o resultado antecipado da 11ª rodada, o São Paulo segue com oito pontos e perde a oportunidade de entrar no G-4. Seu próximo compromisso será no domingo, frente ao Vitória, em Salvador, quanto a equipe já deverá ter um treinador efetivo para o lugar do demitido Ney Franco. Em terceiro lugar, com 11 pontos, o Bahia volta a campo no próximo sábado para enfrentar a Ponte Preta, em Campinas.

Leia também:

Leia também: Maracanã reabre ao futebol nacional com duelo Flu x Vasco

Revelada minutos antes de a bola rolar, a escalação do São Paulo teve novidades, principalmente pelos lados do campo. O jovem lateral direito Lucas Farias atuou pela primeira vez como titular no Morumbi, enquanto o argentino Clemente Rodríguez, recém-chegado do Boca Juniors, fez sua estreia na ala esquerda. Outra mudança de Milton Cruz foi deixar o meia Paulo Henrique Ganso na reserva para escalar Aloísio juntamente com Osvaldo e Luis Fabiano.

Continua após a publicidade

O jogo – Quem salvou o primeiro tempo sonolento foi justamente Aloísio, que abriu o placar aos 14 minutos. Ele ficou com bola não dominada por Luis Fabiano, na entrada da área, ajeitou de perna direita e chutou de canhota para vazar Marcelo Lomba. Na comemoração do gol (o milésimo do clube em seu estádio, na história do Brasileiro), pediu calma ao torcedor.

Mas a calma virou apatia. O Bahia, que já dominava a partida, manteve-se a frente da equipe da casa – apesar de Luis Fabiano ter desperdiçado a chance de ampliar a vantagem ao concluir cruzamento rasteiro pelo lado de fora da rede.

Acompanhe VEJA Esporte pelo Facebook

Siga VEJA Esporte pelo Twitter

No 2º tempo, o São Paulo pareceu ter esquecido o futebol no vestiário. Aos 18 minutos, Anderson Talisca, completamente livre de marcação na pequena área, aproveitou cruzamento vindo da esquerda e completou para a rede – um gol que lembrou o de Thierry Henry, da França, contra o Brasil na Copa do Mundo de 2006 . Para piorar, dois minutos depois Luis Fabiano levou a mão à bola, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Ao deixar o gramado, foi chamado de ‘pipoqueiro’ e respondeu com aplausos.

Aos 42 minutos, o estreante Clemente Rodríguez fez falta na lateral e também foi expulso pelo segundo amarelo. Na cobrança, Fahel aproveitou rebote, marcou o segundo gol e decretou a virada do Bahia.

(Com GazetaPress)

Continua após a publicidade
Publicidade