Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Antes disciplinado, Timão se vê em onda de vermelhos e 5 pendurados

Comandante do Corinthians, Tite minimizou na semana passada, depois de o lateral direito Alessandro ter sido expulso na partida contra o Internacional, a importância de novas expulsões serem perigosas na reta final do Campeonato Brasileiro alegando que seu time era o mais disciplinado da competição nacional. Logo na rodada seguinte, porém, o zagueiro Leandro Castán também levou vermelho e prejudicou a equipe na virada sobre o Avaí, no Pacaembu.

Com a nova expulsão, o Corinthians contabiliza cinco cartões vermelhos (Liedson, Edenílson, Emerson, Alessandro e Castán), superando outros seis clubes e se distanciando ainda mais do Vasco no quesito disciplinar. Vice-líder na tabela, o time carioca é o que menos teve jogadores expulsos até agora: apenas dois. Outros cariocas postulantes à primeira colocação da tabela, Botafogo e Flamengo também mostram melhor disciplina do que o líder, com quatro vermelhos.

A prova de que o aspecto disciplinar pode ser decisivo neste momento é a suspensão da dupla de defesa titular corintiana. Afora Castán, baixa por conta da expulsão, também Paulo André será desfalque em virtude de ter completado a série de três cartões amarelos. Assim, os reservas Chicão e Wallace formarão parceria inédita na temporada. O risco segue grande porque cinco corintianos que vêm sendo titulares nos últimos compromissos estão pendurados por amarelo: o lateral direito Alessandro, os volantes Paulinho e Ralf, o meia Danilo e ainda o atacante Willian.

‘Nem sabia que tínhamos cinco pendurados, porque quando você tem jogos decisivos não tem que pensar em cartão, mas sim no caráter do jogo. Coerentemente, eu penso no jogo’, avaliou Tite, que considerou injusta a expulsão de Castán. ‘Meu goleiro já estava com a ação. Ele tem orientação de ficar adiantado para participar da ação (antecipar-se ao ataque adversário)’.

Apesar da maré de riscos, o Corinthians tem bons rankings ainda: é líder no quesito desarmes (873 ao todo) e tem o menor número de cartões amarelos (68, juntamente com o Botafogo).