Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Anelka não dá a mínima para suspensão

Atacante francês, punido com 18 jogos por ato de indisciplina na Copa, diz estar "morrendo de rir"

Suspenso por 18 partidas da seleção pela Federação Francesa de Futebol (FFF) por seu envolvimento em um dos episódios que culminaram na vergonhosa campanha do país na Copa do Mundo da África do Sul, o atacante Anelka ironizou ao comentar a punição e disse que está “morrendo de rir”.

Cortado da seleção durante o Mundial após xingar o então técnico Raymond Domenech, o jogador recebeu a maior suspensão entre os jogadores que foram punidos na terça-feira. Entre os envolvidos nos conflitos internos durante a Copa, apenas Eric Abidal não sofreu sanção. O capitão Patrice Evra acabou suspenso por cinco jogos, Franck Ribery por três e Jeremy Toulalan por um.

Ao comentar a sua suspensão, Anelka não poupou críticas aos dirigentes da seleção francesa. “Essas pessoas são verdadeiros palhaços. Estou morrendo de rir”, ressaltou o jogador, em entrevista publicada nesta quarta pelo jornal France Soir.

Por causa da pesada punição que recebeu, o jogador deverá ficar sem jogar pela seleção francesa por pelo menos dois anos. Aos 33 de idade, ele mostrou não estar preocupado com o fato. “Quem disse que eu quero jogar de novo pelos Bleus (azuis, apelido da seleção francesa)?”, questionou, para depois enfatizar: “Para mim, depois da Copa do Mundo da África do Sul, a França é agora só história”.

Depois do Mundial, a FFF abriu investigação para apurar os problemas envolvendo a seleção do país durante o Mundial, sobretudo o boicote a um treino logo após Anelka ser cortado, depois de ter xingado Domenech no intervalo da partida contra o México. Apesar de os 23 jogadores da seleção terem participado da greve contra Domenech, apenas os cinco líderes do motim foram julgados.

(Com Agência Estado)