Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Andy Murray celebra cirurgia bem sucedida e mira retorno ao tênis

O tenista escocês surpreendeu os fãs ao dizer no início do ano que poderia se aposentar aos 31 anos por causa de dores no quadril

Andy Murray revelou nesta quarta-feira, 6, que não sente mais dores no quadril, depois de passar por uma cirurgia no final de janeiro. No início do ano, o tenista escocês assustou os fãs ao dizer que poderia se aposentar depois do Aberto da Austrália, por causa das fortes dores na região, que também o fizeram despencar para o 218º lugar no ranking da ATP.

“Não tenho mais dores. A reabilitação está devagar, mas indo muito bem. Tenho apenas de esperar para ver como a situação evolui. Se for possível, adoraria competir novamente. Todos os cirurgiões que consultei foram bem honestos sobre esta possibilidade e só temos que esperar agora”, disse o bicampeão olímpico em entrevista ao canal Sky News.

O dono de três títulos de Grand Slam começou a sentir dores no local na semifinal de Roland Garros de 2017, quando foi batido pelo suíço Stan Wawrinka em um jogo de cinco sets, com duração de 4h34min. Naquele ano, a lesão encerrou sua temporada em julho. No ano passado, ele disputou apenas seis torneios e, em 2019, esteve em apenas duas competições, somando apenas três jogos.

A expectativa de Murray era de que pudesse, ao menos, ter maior qualidade de vida no seu dia a dia, em caso de aposentadoria. Mas o resultado da cirurgia animou o escocês, que mantém a expectativa de retornar em Wimbledon.

“Não posso dizer ao certo se jogaria em simples. Talvez nas duplas. O prazo que defini na minha cabeça é de sete ou oito meses de recuperação, caso as coisas não deem certo como planejo. É preciso um bom tempo para que os músculos se recuperem adequadamente”.

(Com Estadão Conteúdo)