Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Anderson Silva quer lutar no Brasil, não em Las Vegas

Brasileiro campeão dos médios ficou chateado com a notícia de que sua luta não será no Rio de Janeiro; confirmação só deve acontecer na terça-feira

Quarta-feira: treino pela manhã em São Paulo e encontro com patrocinadores à tarde. Um dia normal de Anderson Silva, a pouco mais de sessenta dias de sua próxima luta, contra o americano fanfarrão Chael Sonnen. Ao fim do encontro, o dia normal se transformou numa grande chateação: Anderson entrou no carro e leu a notícia de que sua luta seria transferida para Las Vegas (EUA) – estava tudo certo para ser dia 23 de junho, no estádio do Engenhão, no Rio. O sorriso saiu do rosto, Anderson não quis comentar o assunto – cansou de dizer que só enfrentaria Sonnen no Brasil.

Leia também:

Leia também: Anderson Silva em fotos exclusivas para VEJA desde 2009

A informação da perda da luta para Las Vegas não foi confirmada pelos organizadores, e a equipe de Anderson garante que ainda não foi avisada da mudança. Tudo deve ficar claro na terça-feira, quando o presidente do UFC, Dana White, Chael Sonnen e Anderson Silva dão entrevista no Rio de Janeiro.

Leia também:

Leia também: Anderson Silva, nascido para ser super-herói

Recorde – Quando anunciou que Anderson lutaria no Brasil, Dana White imaginava um mega-show em um estádio em São Paulo, para bater o recorde de público do torneio – 55.000 no UFC 129, em Toronto (Canadá). O local preferido era o Morumbi, mas o negócio não evoluiu e logo o Pacaembu começou a ser cotado, mas uma lei municipal do silêncio – a noite de lutas seria de madrugada em horário que proibe ruidos em excesso – levou o evento para o Engenhão. Leia também: O ano de Anderson Silva, de quase-famoso a superastro Parecia tudo resolvido, mas os representantes do UFC tiveram mais um problema: na mesma época, entre os dias 20 e 22 de junho, vai acontecer o Rio +20, organizado pela ONU, e a expectativa é lotação total dos hotéis da cidade. Dana White em vez de bater-boca deve promover o confronto em Las Vegas. Nos Estados Unidos não haverá problema em escolher local, os cassinos têm toda a infra-estrutura necessária para a luta e estão sedentos com a renda – que promete ser recorde.

Leia também:

– UFC: Jon Jones, um ‘Capitão América’ contra os brasileiros

– Anderson que se cuide: lutador fora de ritmo vira alvo fácil