Clique e assine a partir de 8,90/mês

Anderson Silva chega radiante ao UFC 200: ‘É um desafio’

Lutador brasileiro admitiu que pediu a Dana White para substituir Jon Jones e celebrou a oportunidade de enfrentar Daniel Cormier no megaevento em Las Vegas

Por Da Redação - 8 jul 2016, 11h29

Anderson Silva e UFC deram as mãos e chegaram ao acordo perfeito. A organização conseguiu encontrar um substituto à altura de Jon Jones, cortado por doping, e o lutador brasileiro recebeu a esperada oportunidade de brilhar em um megaevento. Chamado às pressas para enfrentar o americano Daniel Cormier, Anderson voou imediatamente de sua casa em Los Angeles até Las Vegas e se disse empolgadíssimo por reforçar o card do UFC 200, neste sábado. O duelo não valerá o cinturão dos meio-pesados e nem será a luta principal da noite (como ocorreria caso Jon Jones estivesse no octógono), mas segundo o atleta de 41 anos, representa um dos grandes desafios de sua vitoriosa carreira.

“Ter um desafio como esse é sensacional. Sou um abençoado de poder lutar contra um cara como o Cormier. Só posso dizer muito obrigado ao Dana White e aos meus fãs. Independentemente do resultado, estou aqui para me testar, não para dizer que sou melhor do que alguém. O que eu fiz, está feito. Acredito que ninguém irá chegar perto do que fiz”, disse, muito sorridente, o ex-campeão dos médios do UFC.

Anderson não atua desde 27 de fevereiro, quando perdeu para o britânico Michael Bisping, em Londres, em duelo com resultado contestado. O brasileiro estava escalado para enfrentar o americano Uriah Hall no UFC 198, em Curitiba, em maio, mas foi cortado de última hora por causa de uma inflamação na vesícula biliar que o obrigou a passar por cirurgia.

Leia também:

Rafael dos Anjos é nocauteado e Brasil fica sem campeão do UFC

UFC 200: Jon Jones chora por corte e nega doping

Jon Jones é pego no doping e está fora do UFC 200

Já em Las Vegas, Anderson admitiu que não vinha treinando em ritmo forte, mas acredita que pode realizar uma boa luta diante do campeão linear dos meio-pesados. “Nunca parei de treinar, na verdade, mas treinar, treinar mesmo, eu não estava. Não imaginava que iria lutar. Mas se você quer paz, tem que estar preparado para a guerra”, disse. “Se eu estivesse preocupado, não estaria aqui. Luta é luta. Posso fazer uma boa luta com ele, sim, mesmo estando há tanto tempo sem treinar e vindo de cirurgia”, completou o ídolo do MMA brasileiro.

Em certo ponto da coletiva, Anderson admitiu que partiu dele próprio a oferta para substituir Jon Jones. O brasileiro, que também foi suspenso por doping no ano passado, mandou uma mensagem de apoio ao lutador americano. “Temos que nos cuidar e saber de tudo que tomamos. Desejo tudo de bom para ele e espero que ele não fique bravo por eu ter pedido essa luta no lugar dele”, brincou.

Com o corte de Jon Jones, o UFC definiu que a luta principal do evento de sábado será a disputa do cinturão peso-galo feminino entre a campeã, a americana Miesha Tate, e a brasileira Amanda Nunes. A luta de Anderson Silva contra Daniel Cormier será a antepenúltima.

UFC 200 – 9 de julho de 2016, em Las Vegas, Estados Unidos

Card Principal:

Peso-galo: Miesha Tate x Amanda Nunes

Continua após a publicidade

Peso-pesado: Brock Lesnar x Mark Hunt

Peso-meio-pesado: Anderson Silva x Daniel Cormier

Peso-pena: José Aldo x Frankie Edgar

Peso-pesado: Cain Velásquez x Travis Browne

Card Preliminar:

Peso-galo: Cat Zingano x Julianna Peña

Peso-meio-médio: Johny Hendricks x Kelvin Gastelum

Peso-galo: TJ Dillashaw x Raphael Assunção

Peso-leve: Sage Northcutt x Enrique Marin

Peso-leve: Diego Sanchez x Joe Lauzon

Peso-médio: Gegard Mousasi x Thiago Marreta

(da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade