Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Amigo de Marin, Rivellino vê Mano mais atrasado que estádios da Copa

Assim como o seu amigo José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Roberto Rivellino está insatisfeito com a preparação da equipe de Mano Menezes para a Copa do Mundo de 2014. O campeão mundial de 1970 chegou a comparar, nesta segunda-feira, o estágio atual da Seleção com o das arenas em construção para o evento.

‘É preocupante. Estamos pensando em estádios, aeroportos, estradas, meios de comunicação e um monte de coisas mais, mas até agora nada do time. A Seleção Brasileira, sem dúvida, está mais atrasada’, criticou Rivellino. ‘Você não sabe nem quem é o goleiro titular. Infelizmente, não temos um time. Tomara Deus que consigamos montar uma base da equipe nas Olimpíadas.’

Para Rivellino, Mano Menezes precisa agir depressa para deixar a Seleção em condições de conquistar o hexacampeonato mundial. ‘Gosto do Mano, mas acho que ele está demorando a tomar atitudes. Espero que faça isso nas Olimpíadas, já que a maioria dos convocados estará também na Copa de 2014’, observou.Entre as certezas na lista de convocados do Brasil, a maior certamente é o atacante Neymar. ‘Mas é muito pouco. A nossa safra não é isso que todo mundo fala. Se for só Neymar, não vamos ganhar’, alertou Rivellino, torcendo para que o jogador do Santos ganhe companheiros de qualidade na Seleção. ‘Ele precisa ter um Ganso, um atleta diferenciado, e uma equipe ao seu lado. Formando um grupo, aí, sim, você encaixa o Neymar e outros para ter um time competitivo em 2014’, complementou.

Quem saberá em primeira mão os colegas de Neymar nas convocações de Mano Menezes é José Maria Marin. O substituto de Ricardo Teixeira no comando da CBF não se intimida em dizer que pretende vistoriar as listas do treinador. ‘É um direito dele. O Mano mesmo falou que o presidente tem esse direito. Ou o Marin vai saber depois de todo mundo? Agora, coincidentemente ou não, ele falou que não queria o Ronaldinho na última convocação, e ele não foi convocado. Isso é outro problema’, analisou Rivellino.

O ex-jogador confessa que não é a pessoa mais indicada a falar sobre Marin com isenção. ‘Sou suspeito porque ele é um amigo. Mas gosto do Marin porque já foi presidente da Federação Paulista, jogou bola e realmente tem conhecimento de futebol. Ele está se mostrando uma pessoa competente, que pode mudar o rumo do futebol brasileiro. Fazendo isso com transparência, ficará na história’, elogiou.

Rivellino ainda ponderou que o seu desabafo foi motivado pela esperança de ver o Brasil superar um trauma. ‘Já perdemos a Copa de 1950 em casa. Temos a oportunidade de reverter esse quadro em 2014. Pelo amor de Deus, outra derrota não dá. O brasileiro merece ver a Seleção conquistar o título mundial aqui’, concluiu.