Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alex elogia, mas acha impossível frear Santos do modo como fez Vélez

Será difícil o Corinthians jogar ‘com a bunda lá atrás’ (para usar expressão de Tite) contra o Santos nas semifinais da Copa Libertadores. Não só porque o treinador não gosta, mas também em função da característica dos atletas, diferente por exemplo da que levou o Vélez Sarsfield a dar trabalho à equipe litorânea na Vila Belmiro.

‘Mesmo tendo semelhança com as equipes argentinas, pelo sistema defensivo forte, acredito que o Vélez não tenha tanta individualidade como a gente. Eles puseram marcação de dois ou três jogadores em cima do Neymar, não sei se a gente conseguiria fazer isso. A gente vai querer jogar também, vai querer buscar o resultado’, vê Alex.Após vencer o time de Muricy Ramalho por 1 a 0 na Argentina, o Vélez foi derrotado pelo mesmo placar no Brasil – em jogo que fez forte retranca, ainda mais depois de perder o goleiro, expulso – e perdeu a vaga na disputa de pênaltis.

‘Foi uma forma interessante ver como conseguiram segurar bem o Santos. É bom ver tudo, mas acho quase impossível. Não acredito que a gente vá jogar desse jeito. Temos que agredir o Santos, com respeito mútuo. Não estamos aqui à toa. A gente tem capacidade individual e de conjunto para fazer um bom jogo e mostrar que quer o título’, completou.

O primeiro jogo da semifinal será somente daqui a pouco mais de duas semanas, com mando do Santos, mas em local ainda indefinido – pode ser na Vila Belmiro ou no Morumbi. Antes disso, no entanto, os dois rivais jogam o Campeonato Brasileiro. O Corinthians vai a campo às 16 horas (de Brasília) deste domingo, contra o Atlético-MG, no Independência, em Belo Horizonte.