Clique e assine a partir de 9,90/mês

Alerta por áudio e forte neblina: o que se sabe sobre o acidente de Kobe

Autoridades analisam as possíveis causas da tragédia com modelo Sikorsky S-76B. Última conversa entre o piloto e a torre de controle foi divulgada

Por Da Redação - Atualizado em 27 jan 2020, 12h45 - Publicado em 27 jan 2020, 12h23

A investigação sobre o acidente que matou o ex-jogador de basquete Kobe Bryant, sua filha Gianna e mais sete pessoas, ainda está começando, mas já está sendo a admitida a possibilidade de que a densa neblina e uma falha humana possam ter contribuído para a tragédia. O canal VASAviation divulgou o áudio da conversa entre o piloto Ara Zobayan e a torre de controle de Los Angeles.

Pouco antes das 10h (hora local), o helicóptero de modelo Sikorsky S-76B, um dos mais modernos do mundo, se chocou contra uma área montanhosa da cidade de Calabasas, no estado da Califórnia e pegou fogo, já que tinha uma grande quantidade de combustível, pois havia feito apenas 40 minutos de voo.

O porta-voz do Departamento de Polícia de Los Angeles, Josh Rubenstein, afirmou que a Divisão de Apoio Aéreo da corporação decidiu que os helicópteros permanecessem em terra durante a manhã, devido às condições de névoa, e só voassem à tarde.

O porta-voz da Junta Nacional de Segurança do Transporte, Christopher O’Neil, afirmou que o órgão já designou um grupo de investigadores especialistas em acidentes para colaborar com a coleta de informações sobre o caso.

Continua após a publicidade

Kurt Deetz, ex-piloto da empresa Island Express Helicopters, que costumava transportar Kobe Bryant no helicóptero que caiu, admitiu que as condições climáticas na região eram ruins e descartou que possam ter acontecido problemas mecânicos. “A probabilidade de uma falha em um motor, nesse modelo de helicóptero, simplesmente não acontece”, garantiu Deetz.

Ao jornal Los Angeles Times, uma testemunha relatou o que viu. “Estava muito baixo. Eu vi o helicóptero caindo, mas é difícil dizer porque estava muita neblina. O helicóptero sumiu em uma nuvem de neblina e veio um ‘boom’. Depois se formou uma grande bola de fogo. Ninguém sobreviveria a isso”, contou.

Áudio: ‘Você está em um nível baixo’

O áudio da conversa entre piloto e torre de comando foi divulgado pelo site americano especializado em aeronaves VASAviation. O modelo S-76, registrado como N72EX, teve um último contato com Los Angeles já em Calabasas, quando voava a 1.500 pés (450 metros).

Continua após a publicidade

O helicóptero perdeu contato pouco depois de ter seu controle repassado ao Southern California Terminal Radar, possivelmente porque voava abaixo das condições normais. “Você ainda está em um nível baixo para seguir um voo neste momento”, avisou o controlador pouco antes da perda de sinal.

Segundo os primeiros relatos, o acidente pode ser classificado como CFIT, acrônimo em inglês para “Colisão com o Solo em Voo Controlado”, quando a aeronave tem todos os seus equipamentos e sistemas funcionando normalmente. A causa mais comum para ocorrências deste tipo é o fator humano.

A falha do piloto pode ocorrer por uma leitura incorreta dos dados, por desconhecimento da área sobrevoada ou desorientação espacial. No caso de mudanças abruptas de condições visuais é possível que os pilotos percam a referência imediata com o solo, sem tempo suficiente para corrigir a rota.

Publicidade