Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Alemão conquista título mundial de hipismo no Rio

Atuação perfeita rence a Marcus Ehning prêmio de 3,5 milhões de reais. Doda Miranda anuncia que em 2011 etapa do Athina Onassis será mantida na cidade

Por Rafael Lemos e Paula Neiva 28 ago 2010, 22h01

Casal de anfitriões Doda Miranda e Athina Onassis desfrutou de altos e baixos durante a competição

O alemão Marcus Ehning conquistou uma dupla vitória, na noite deste sábado, na Sociedade Hípica Brasileira, na Lagoa, ao faturar a principal prova do Athina Onassis International Horse Show (AOIHS) e ainda assegurar o título do Global Champions Tour (GCT) 2010. A competição, considerada a Fórmula 1 do hipismo, distribuiu a maior premiação da história do esporte, com 1,6 milhão de euros (3,5 milhões de reais).

Na prova decisiva, que foi dividida em duas etapas, cavaleiros e amazonas tiveram que superar obstáculos a 1,60m. Desde o início, Ehning, atual tricampeão da Copa do Mundo de Hipismo, figurava entre os favoritos, ao lado do compatriota Marco Kutscher e do belga Jos Lansink – o top 3 do GCT. Desse grupo, apenas Ehning conseguiu se classificar para a segunda etapa da final, tendo sido o último entre os 18 classificados.

Com o cavalo Noltes Küchengirl, ele precisava apenas do terceiro lugar no AOIHS para selar a conquista do torneio mundial. Mas o alemão foi além e, numa atuação considerada perfeita, não cometeu erros nas duas etapas da prova nem no desempate. “A vitória foi muito apertada. Até agora não acredito que tive tanta sorte. Todo o concurso foi fantástico desde o início. Todas as provas foram difíceis. Eu não sabia se conseguiria vencer esta etapa nem o Global Champions Tour”, disse Ehning.

O brasileiro mais bem colocado no AOIHS não foi nenhuma das estrelas do hipismo nacional, como os medalhistas olímpicos Doda Miranda ou Rodrigo Pessoa. Coube a Carlos Motta Ribas prorrogar até o último instante a esperança do público de ver um brasileiro no pódio. E ele quase conseguiu. Único cavaleiro do país a participar do desempate da final, Ribas tinha a terceira melhor marca quando o alemão Ehning entrou na pista e deu seu show. No fim das contas, o brasileiro ficou com o quarto lugar, feliz da vida. “Para falar a verdade, nem sei como vim parar aqui. Há muito tempo não montava nesse nível. Acabei de vender esse cavalo e o cliente me falou para montá-lo pela última vez aqui no Athina. Foi um final feliz”, resumiu Ribas.

O casal de anfitriões Doda Miranda e Athina Onassis desfrutou de altos e baixos durante a competição. No primeiro dia, Doda conquistou o segundo lugar do pódio na prova Prefeitura do Rio, ficando atrás apenas do também brasileiro Luiz Felipe Azevedo Lima. Neste sábado, ele ficou com o modesto 33º lugar, sendo superado pela esposa Athina Onassis, 13ª. No entanto, para Doda, que é o grande responsável pelo evento, o mais importante não era o resultado dentro da pista, mas sim fora dela. “Até Atlanta (Jogos Olímpicos de 1996) não tínhamos medalha olímpica. Então, era muito difícil pedir às pessoas que viessem a um evento desses. Não havia ídolos. Os resultados do Rodrigo (Pessoa) e do time despertaram o interesse das pessoas. Tínhamos dúvidas quanto a cobrar pelo ingresso ou não. Agora, temos problemas com falta de ingressos. Isso é prova do sucesso”, avaliou.

Segundo Doda, a edição de 2011 do AOIHS será no Rio de Janeiro, a exemplo do que já acontece há dois anos. Apesar de não sediar a final do GCT no ano que vem, a etapa brasileira vai oferecer um prêmio ainda maior: 1 milhão de euros.

Continua após a publicidade
Publicidade