Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Alemanha derruba tabu e prolonga má fase brasileira: 3 a 2

Por Da Redação 11 ago 2011, 01h24

A seleção brasileira continua com a sina de resultados ruins sob o comando de Mano Menezes. Na tarde desta quarta-feira, a equipe verde-amarela apostou em um futebol tático – com prioridade para os contra-ataques – que não proporcionou um final feliz: derrota por 3 a 2 na Mercedes-Benz Arena, em Stuttgart.

Com o marcador, a Alemanha encerra um tabu de quase 18 anos sem derrotar o Brasil. A última vitória dos tricampeões mundiais no confronto havia sido registrada em novembro de 1993, no triunfo por 2 a 1.

Todos os gols da partida foram marcados no segundo tempo, depois de grande equilíbrio nos 45 minutos iniciais. Schweinsteiger, Gotze e Schurrle construíram o triunfo da Alemanha, enquanto Robinho e Neymar descontaram.

Os próximos desafios definidos da seleção brasileira serão dois jogos contra Argentina, nos dias 14 e 28 de setembro, na reedição da Copa Rocca, batizada de Superclássico das Américas. O primeiro confronto será realizado em território argentino. A volta está prevista para a cidade de Belém. Diante do tradicional rival, o time verde-amarelo irá usar apenas atletas que atuam no país. Antes, nos dias 2 e 6 do mesmo mês, os pentacampeões contam com datas reservadas pela Fifa para outros confrontos ainda não confirmados.

O Jogo – A seleção brasileira iniciou a partida dominada pela Alemanha. Com o apoio da torcida e beneficiados pelo ótimo gramado da Mercedes-Benz Arena de Stuttgart, os donos da casa tocavam a bola com qualidade e deixavam o rival verde-amarelo acuado na defesa.

Continua após a publicidade

Aos cinco minutos, a Alemanha criou a primeira chance. A revelação Gotze recebeu na área, cortou André Santos com facilidade e chutou para grande defesa do goleiro Júlio César no canto direito. O lance aumentou a empolgação da torcida que lotava o estádio.

O Brasil melhorou a partir do momento em que Robinho e Neymar apareceram para armar os contra-ataques. No entanto, a seleção pecava pela falta de poder de finalização. Enquanto isso, os alemães arremataram duas vezes de fora da área através de Kroos.

Os melhores momentos brasileiros na etapa inicial foram registrados a partir dos 30 minutos. Na falta cobrada por Daniel Alves, Neuer foi obrigado a espalmar para a lateral da área. Com dois minutos para o intervalo, Neymar também assustou o goleiro alemão com um arremate que cruzou toda a pequena área. Ainda assim, não houve mudança de marcador no primeiro tempo.

Para a etapa complementar, a Alemanha apostou em mudanças na dupla de ataque, com as entradas de Schurrler e Klose nas vagas de Gómez e Podolski. As alterações deram certo. Aos 16 minutos, os donos da casa abriram o placar com gol de pênalti de Schweinsteiger. Cinco minutos depois, ampliaram com Gotze, que foi lançado nas costas da zaga e driblou Júlio César antes de marcar 2 a 0.

O Brasil renasceu em campo ao diminuir a desvantagem, com Robinho, que converteu pênalti sofrido por Daniel Alves aos 25 minutos. Mas a reação acabou com uma falha terrível de André Santos. Aos 34 minutos, o lateral perdeu a bola dentro da área para Schweinsteiger, que apenas rolou para Schurrle marcar o terceiro. Nos acréscimos, Neymar ainda descontou a diferença com um chute de fora da área: 3 a 2.

Continua após a publicidade
Publicidade