Clique e assine com 88% de desconto

Aldo encara briga por cinturão. E avista nova categoria

Se passar por Chan Sung Jung, campeão dos penas deve subir para os leves

Por Davi Correia, do Rio de Janeiro - 3 ago 2013, 09h32

O UFC volta ao Rio de Janeiro na noite deste sábado – quase dez meses depois terceira edição carioca do evento, quando Anderson Silva, ainda campeão dos médios, subiu para os meio-pesados e nocauteou Stephan Bonnar no primeiro round. Nesta noite, o manauara José Aldo fará a principal luta da noite contra o sul-coreano Chan Sung Jung, entre os penas. Aldo é o único brasileiro que ainda detém um cinturão do torneio e já deixou claro que não pretende perdê-lo. Em outra aguardada luta deste sábado, Lyoto Machida enfrenta o americano Phil Davis nos meio-pesados. Uma boa vitória de Machida pode colocá-lo na condição de desafiante ao título, que está com o americano Jon Jones (ele luta contra o sueco Alexander Gustafsson, em setembro). O UFC Rio 4 ainda conta com outros treze atletas brasileiros e será transmitido ao vivo pela Rede Globo, com a narração de Sérgio Maurício e comentários de Júnior Cigano.

Leia também:

​Começa venda de ingressos para UFC em Belo Horizonte

UFC confirma data e local da próxima luta de Anderson Silva

Publicidade

UFC 162: não, a derrota não foi armação. Saiba os motivos

Aos 26 anos, José Aldo se prepara para fazer sua quinta defesa de cinturão pelo UFC. Seu adversário seria o americano Anthony Pettis, que acabou se lesionando durante os treinos e foi substituído por Chan Sung Jung, conhecido como Zumbi Coreano. O UFC foi criticado pela escolha do sul-coreano, número cinco do ranking, pois a fila da briga pelo cinturão tinha outros lutadores mais bem colocados, como Ricardo Lamas e Cub Swanson. Na quinta-feira, Marshall Zelaznik, executivo do UFC, disse que todos os nomes estavam em pauta e a opção por Sung Jung se deu para que fossem mantidas as estruturas de eventos futuros. O confronto desta noite promete ser excelente para os fãs que gostam de trocação, em especial com muitas joelhadas e sequências de socos. Se José Aldo vencer mais uma vez, ele terá superado os principais nomes da sua categoria e deve subir para os leves. Seu treinador, Dedé Pederneiras, vem adiando essa mudança há algum tempo, mas, cada vez mais próxima, ela agrada os chefões do UFC.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Publicidade

Já Lyoto Machida tenta manter a boa fase. O brasileiro vem de duas vitórias – sua última derrota foi para Jon Jones, em 2011. Depois de vencer Dan Henderson, em 2012, Machida foi confirmado como desafiante do campeão meio-pesado, mas o UFC mudou os planos e alterou os adversários. Também na quinta-feira, Marshall Zelaznik voltou a confirmar que uma boa vitória do brasileiro o colocará como próximo desafiante do cinturão. Machida tenta fugir do discurso de lutar para ser o campeão e garante que está focado em Phil Davis, um excelente wrestler. Em suas últimas vitórias, Machida derrotou três wrestlers e pôde tirar proveito dessa situação. Sabendo do perigo do brasileiro, Phil Davis disse que pretende anular o jogo em pé do carateca e deve apostar nas quedas, seguindo para o ground and pound.

Publicidade