Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aidar oficializa renúncia da presidência do São Paulo por e-mail

Acusado de corrupção pelo ex-braço-direito, Ataíde Gil Guerreiro, dirigente deixou o cargo depois de um ano e meio

Carlos Miguel Aidar decidiu desmarcar a reunião agendada para o fim da tarde desta terça-feira no Estádio do Morumbi com ex-membros da diretoria, mas oficializou sua renúncia à presidência do São Paulo horas depois, via e-mail. No documento, o dirigente apenas comunicou sua saída e agradeceu aos colegas, sem prestar qualquer esclarecimento sobre as denúncias de corrupção feitas contra ele pelo ex-vice-presidente, Ataíde Gil Guerreiro.

A renúncia de Aidar já era dada como certa dentro do clube desde o último fim de semana. Agora, o presidente do Conselho Deliberativo do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, assumirá a presidência e terá o prazo de 30 dias para convocar uma nova eleição. Leco, inclusive, deve ser um dos candidatos e conta com apoio até de alguns opositores.

Leia também:

Próximo presidente do São Paulo poderá ficar no cargo até 2022

Crise no São Paulo: Ataíde Gil Guerreiro admite briga com Aidar

Osorio agradece Ataíde e omite nome de Aidar em despedida do São Paulo

Aidar pede demissão de toda a diretoria do São Paulo e fala em ‘pacificação’

No encontro cancelado, Aidar deveria prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas pelo ex-vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro em um e-mail divulgado na semana passada. Ataíde acusou Aidar de ter desviado dinheiro de transferências, envolver a namorada Cinira Maturana no recebimento de comissões e de gestão fraudulenta. Ataíde também escreveu na mensagem que gravou em áudio uma conversa entre os dois para usar como prova.

O conteúdo do e-mail enfraqueceu de vez a base política do presidente dentro do conselho. Antigos aliados e ex-membros da diretoria retiraram o apoio a Aidar desde que ele solicitou a entrega de pedidos de demissão coletiva de todos os membros da gestão, desde os seis vice-presidentes até os cerca de 20 diretores. As demissões foram motivadas pela briga ocorrida em um hotel, noticiada com exclusividade pelo Radar On-line de VEJA. Em meio à crise política, o treinador colombiano Juan Carlos Osorio pediu demissão para assumir a seleção mexicana e Doriva foi contratado como seu substituto.

Abaixo, na íntegra, a mensagem de despedida de Aidar enviada por e-mail:

Prezados colaboradores,

Acreditando que estejam acompanhando o noticiário, informo que nesta data me desligarei da presidência do São Paulo F.C.

Impossibilitado, naturalmente, de agradecer pessoalmente a cada um de vocês, faço-o por meio desta mensagem, na expectativa que sigam seus trabalhos em prol do Clube que servimos.

Um forte abraço e muito obrigado.

Carlos Miguel

(com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)