Clique e assine a partir de 9,90/mês

Agora deputado, ex-jogador Jardel diz ser alvo de ameaças e desaparece

Ex-atacante do Grêmio acusa ex-funcionários da Assembleia Legislativa do RS

Por Da Redação - 7 abr 2015, 13h11

O ex-atacante Mário Jardel, eleito deputado estadual pelo PSD-RS com 41.227 votos, está afastado do cargo e incomunicável. O ídolo do Grêmio demitiu quase todos os seus subordinados na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na última semana e tirou licença médica de dez dias. Segundo informações da imprensa gaúcha, ele estaria sofrendo de depressão após ter sido ameaçado de morte por ex-funcionários.

Leia também:

Eleições 2014: Romário e Andrés são eleitos. Dinamite e Ademir perdem

Segundo o novo chefe de gabinete de Jardel, Cristian Lima, as exonerações aconteceram por causa das constantes ameaças sofridas pelo deputado. “Seria morto se não concordasse em assinar diárias, votações e outras coisas mais. Ele foi ameaçado de morte por um dos funcionários que estavam lotado no seu gabinete. Ou ele fazia o que eles queriam ou eles arrebentariam com a vida dele, principalmente a vida pessoal”, revelou Cristian Lima à Rádio Gaúcha. O ex-chefe de gabinete, Sérgio Bastos Filho, negou as denúncias e disse que mantinha uma relação “normal” com o deputado.

Continua após a publicidade

Apenas quatro dos 21 servidores foram mantidos nos cargos e outros dois foram contratados. Ao jornal Zero Hora, o novo chefe de gabinete afirmou que Jardel está em viagem pelo Brasil com a esposa, provavelmente no Ceará, seu estado natal, e não pretende deixar o país, como chegou a ser cogitado. O atestado médico que cita “depressão leve” é válido de 1º de abril até o dia 9. Depois disso, é esperado que o ex-jogador se reapresente na Assembleia.

Nesta segunda-feira, o ex-goleiro Danrlei, deputado federal e vice-presidente do PSD, o partido de Jardel, comunicou em nota oficial o rompimento de relações com o ex-colega, com quem conquistou a Libertadores de 1995, entre outros títulos, pelo Grêmio. Apesar de ter sido um dos principais apoiadores de Jardel nas eleições de 2014, Danrlei afirmou não querer proximidade “com quem conduz seu mandato e sua vida da maneira como Jardel demonstrou que vai conduzir”.

Jardel, de 41 anos, atuou por mais de 20 clubes, com destaque para suas passagens por Vasco, Grêmio, Porto e Galatasaray. Ele também defendeu a seleção brasileira e se aposentou em 2011 após vários problemas com álcool e cocaína.

(Com Gazeta Press)

Publicidade