Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Resenha entre Candinho e presidente conclui: velhinho é solução

Por Da Redação - Atualizado em 19 jul 2016, 13h28 - Publicado em 23 maio 2012, 08h02

Durante o treino da última sexta-feira, no estádio do Canindé, antes mesmo da estreia da Portuguesa no Campeonato Brasileiro da Série A, uma animada conversa entre Candinho, gerente de futebol, Wolnei Caio, diretor, e Manuel da Lupa, presidente do clube, chamou a atenção de todos que acompanhavam a movimentação. Os temas em pauta eram o passado, o presente e o futuro da equipe rubro-verde.

Rebaixada no Campeonato Paulista de 2012 com uma campanha pífia, a Lusa sucedeu a conquista irretocável da Série B do ano passado com um dos maiores fracassos de sua história. Eliminado também da Copa do Brasil, o clube passa por uma reformulação interna e os principais personagens desse novo momento – que também inclui o técnico Geninho – resolveram analisar a situação do ponto de vista prático.’O time caiu muito depois que saíram os velhinhos’, diagnostica Candinho, que assumiu a gerência de futebol após o rebaixamento. O dirigente credita a queda justamente aos jogadores que deixaram o plantel lusitano ao fim da Série B, como Edno (vendido pelo Corinthians ao Tigres-MEX), Marco Antônio (contratado pelo Grêmio), Mateus (negociado com o Cruzeiro) e Marcelo Cordeiro (ainda do elenco, mas passando por longo processo de recuperação), todos com mais de 25 anos.

Atualmente, a média de idade da equipe é de 24 anos, sendo que nenhum jogador do plantel tem mais de 30. Assim, quando Candinho alega que ‘nem sabe quem é o mais velho do elenco’, a crítica é levada em conta por Da Lupa. Entre os titulares, Luis Ricardo, Rogério e Wilson Matias têm 28 anos, sendo os experientes da equipe comandada por Geninh

‘O negócio do rebaixamento já faz mais de um mês. Agora tem que fortalecer o grupo. Trazendo reforços, recuperando quem precisa e tudo para ter um time mais forte a partir da quarta rodada, eu espero. É claro que falta experiência, faltam alguns jogadores que sirvam de base para a garotada’, analisa o dirigente, que já trouxe jogadores como o zagueiro André Luis, de 32 anos e faz testes com Leandro Bonfim, de 28, e Valdomiro, de 33. O goleiro Dida, de 38, também é alvo para a Série A.A inspiração para a composição do novo grupo é o time vice-campeão brasileiro de 1996, comandado justamente por Candinho. Naquela oportunidade, depois de se classificar em oitavo na primeira fase, a Lusa eliminou Cruzeiro e Atlético-MG até ser derrotado pelo Grêmio por 2 a 0 no Olímpico, na segunda partida da final, dando ao técnico Luiz Felipe Scolari o primeiro título nacional de sua carreira.

Publicidade

O time de 96 tinha como destaques os meias Rodrigo Fabri, então com 20 anos, e Zé Roberto, de 21, além do atacante Alex Alves, com a mesma idade do atual jogador do Grêmio. A base, no entanto, era formada por atletas mais experientes, como o goleiro Clemer, Capitão, Alexandre Gallo e o próprio Wolnei Caio. ‘Um velhinho sempre cai bem no time’, conclui Candinho.

Publicidade