Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ninguém pode dizer que não tentamos, define Rodriguinho

A derrota por 1 a 0 diante do Vasco, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, não resultou em vaias da torcida da Portuguesa, que acabou reconhecendo a visível superioridade da equipe dentro de campo, neste sábado. O belo gol marcado por Alecsandro aos 20 do primeiro tempo mudou a história do jogo, que teve amplo domínio dos donos da casa.

O atacante Rodriguinho começou a partida do banco de reservas, mas foi acionado por Geninho aos 15 minutos do segundo tempo, para dar velocidade ao setor ofensivo. A Lusa se manteve atacando e não conseguiu acertar o alvo. A impressão era de que o time da casa não empataria o placar mesmo se a partida tivesse ‘três tempos’, lembrou o substituto de Ricardo Jesu

‘Eu esquentei o jogo, mas não marcamos. Ninguém pode dizer que não tentamos. Se a gente repetir essa atuação, com certeza vamos vencer outros jogos’, disse o jogador, que ainda reclamou de um pênalti não marcado sobre Michael e um gol dele próprio anulado em virtude da participação de Ananias – este sim em posição irregular.

Ainda sem vencer no retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, a Lusa tem o Coritiba como próximo desafiante, apenas no dia 6 de junho, pela terceira rodada. Rodriguinho prega cautela para a situação da equipe na competição: ‘Tem que ser passo a passo. Temos que brigar para ficar na Primeira Divisão, depois pode pensar em Copa Sul-americana. Aos poucos vamos conquistando’.

‘A Portuguesa está jogando de igual para igual com os grandes’, define Rodriguinho. O experiente Michael segue a linha de raciocínio do companheiro, que também saiu do banco de reservas para buscar o empate, mas não conseguiu: ‘Dominamos a partida, fomos prejudicados no lance do pênalti, mas provamos que vamos chegar fortes nesse Campeonato Brasileiro’.