Clique e assine a partir de 9,90/mês

Adriano em fim de recuperação. Estreia ainda não tem data

Por Da Redação - 24 ago 2011, 12h05

Em fase final de recuperação da lesão no tendão de Aquiles do pé esquerdo, sofrida em abril, o atacante Adriano não esconde a ansiedade para fazer sua estreia no Corinthians. Mas ele admitiu nesta quarta-feira que ainda não está no melhor de sua forma e só voltará aos gramados quando estiver 100% fisicamente.

“Estou tentando voltar, todos falam uma data, mas na verdade ninguém sabe. Eu só vou voltar a jogar quando estiver bem. Não adianta voltar a jogar estando 50% e não render tudo o que eu sei, porque aí a pressão em cima de mim e do Corinthians será muito grande. Agora precisamos ter um pouco de cuidado para dizer o dia que vou sair jogando”, declarou Adriano à TV Corinthians.

Nas últimas semanas, falou-se sobre a possibilidade de o jogador estrear no dia 7 de setembro, diante do Flamengo, pelo Brasileirão. A comissão técnica, no entanto, não quis confirmar essa previsão, lembrando que ele ainda precisa perder de três a quatro quilos e retornar aos treinos com bola. Adriano não estipulou prazo.

“Estou mais ou menos com 70% da minha condição física. Não posso ultrapassar o limite. Não adianta falar que vou jogar contra o Flamengo, como estão falando, e chegar lá e não ter condições de atuar. Porque aí vão me criticar, vão falar que o Corinthians é incompetente. E cria uma polêmica onde não existe. Por isso não vou marcar tempo certo para voltar”, afirmou o jogador.

Continua após a publicidade

Em final de recuperação, o atacante tenta agora conter a ansiedade pela estreia com a camisa do Corinthians. “Estou me recuperando muito bem. Este momento final está sendo a parte mais difícil, porque quero voltar logo, tem a ansiedade que atrapalha um pouco agora. Mas estou muito bem e quero voltar logo a jogar.”

Mesmo sem estar em campo, Adriano acompanha o desempenho da equipe no Campeonato Brasileiro. Para ele, uma vitória diante do Palmeiras, no domingo, e a liderança na primeira metada da competição podem fazer diferença. “Temos de fechar o primeiro turno com o maior índice de vitórias, porque o segundo será mais difícil. Todos os times se conhecerão melhor, estarão mais entrosados, então é importante terminar bem o primeiro turno.”, avaliou o atacante.

(Com Agência Estado)

Publicidade