Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Adilson vê evolução, mas lamenta falhas do São Paulo

Por Da Redação - 6 out 2011, 09h40

Por AE

Sete Lagoas – O São Paulo virou para cima do Cruzeiro e esteve duas vezes na frente no placar, mas acabou ficando no empate por 3 a 3, na noite de quarta-feira, em Sete Lagoas (MG). Apesar de não ter conseguido a vitória na abertura da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Adilson Batista comemorou as diversas oportunidades criadas pelo ataque são-paulino durante a partida.

“O São Paulo vem crescendo, jogando bem. Tivemos uma grande atuação, um jogo bem controlado”, declarou Adilson Batista, após o empate em Sete Lagoas. “Criamos situações, mas poderíamos ter feito dois gols também de bola parada. Controlamos o jogo, mas não conseguimos o nosso objetivo que era a vitória.”

As bolas paradas, mas na parte defensiva, foram o principal problema são-paulino na partida em Sete Lagoas. Os últimos dois gols do Cruzeiro aconteceram em cruzamentos na área, justamente quando o São Paulo era amplamente superior na partida. “O nosso time vem sendo superior aos adversários, mas infelizmente tivemos desatenção nas bolas paradas”, avaliou Adilson Batista.

Publicidade

Para completar a frustração, ainda não foi desta vez que o atacante Luis Fabiano voltou a marcar pelo São Paulo. Apesar da boa partida, chegando a dar assistência para o primeiro gol da equipe, de Cícero, ele perdeu algumas chances em sua segunda partida desde que se recuperou da grave lesão. A principal dela aconteceu ainda na primeira etapa, quando perdeu uma cobrança de pênalti.

“O Rogério Ceni me perguntou se eu estava confiante para bater (o pênalti) e eu disse que sim. Infelizmente o goleiro (Fábio) acertou o canto. A minha volta está sendo mais sofrida do que o esperado, mas estou aqui para lutar. Não vou baixar a cabeça e o gol uma hora vai sair”, afirmou Luis Fabiano, que já tinha passado em branco no último domingo, na derrota para o Flamengo.

Publicidade