Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Abismo entre times grandes e pequenos cresce na Europa

Apesar da impressão de grande equilíbrio na atual temporada, estudo revelado na Suíça mostra que disputa é cada vez mais restrita ao pelotão de elite no topo

O campeonato mais desequilibrado é o espanhol. Juntos, Barça, Real e Atlético tiveram 80,9% de aproveitamento nas primeiras 32 rodadas

Os fãs do futebol europeu estão animados com a reta final da temporada 2013-2014: em algumas das principais ligas do continente, há uma briga acirrada no topo da tabela, com mais clubes do que de costume envolvidos na disputa do título. São os casos da Espanha, onde o Atlético de Madri se juntou a Real Madrid e Barcelona (só três pontos separam os três) e da Inglaterra, que tem Liverpool, Chelsea e Manchester City lutando pela taça (quatro pontos os separam). Um estudo feito na Suíça, porém, afirma que, na verdade, os principais campeonatos da Europa nunca estiveram tão desequilibrados – pelo menos quando se leva em conta a diferença de desempenho dos líderes e dos clubes que estão no fim da tabela. Conforme a pesquisa, o abismo entre os grandes e pequenos nunca foi tão grande, deixando a briga pelas principais colocações muito mais restritas.

Leia também:

Real perde mas avança às semis da Liga dos Campeões

Chelsea vence Paris-Saint Germain e é outro semifinalista

​Escândalos mancham a imagem dos gigantes da Europa

O levantamento foi divulgado na terça-feira pelo Observatório do Futebol de Neuchâtel, na Suíça, e reuniu os números dos cinco principais campeonatos: Espanha, Inglaterra, Alemanha, Itália e França. “Na atual temporada, os três primeiros colocados desses campeonatos tiveram em média 75,5% de aproveitamento”, diz o estudo do observatório, que integra o Centro Internacional de Estudos do Esporte (CIES). Desde a primeira edição desse estudo, na temporada 2008-2009, o aproveitamento dos times de ponta nunca foi tão alto. Nas últimas duas temporadas, a média foi de 70,5%. O campeonato mais desequilibrado é o espanhol. Juntos, Barça, Real e Atlético tiveram 80,9% de aproveitamento nas primeiras 32 rodadas. A Itália vem logo atrás, com Juventus, Roma e Napoli, que tiveram em média 77,8% de aproveitamento.

Na França, o Paris Saint-Germain caminha a passos largos rumo ao bicampeonato. Junto com o vice-líder Mônaco e o terceiro colocado Lille, o aproveitamento médio é de 71,2%. Na temporada 2010-2011, por exemplo, Lille, Olympique de Marselha e Lyon conquistaram juntos apenas 60,8% dos pontos em jogo. Na Alemanha, o Bayern de Munique já garantiu o título com incríveis sete rodadas de antecedência. Os três primeiros colocados têm 73% de aproveitamento, faltando cinco rodadas para o fim da competição. Na Inglaterra, Liverpool, Chelsea e Manchester City somam 74,2% de aproveitamento. “Isso mostra um processo muito claro de desequilíbrio competitivo”, avalia Raffaele Poli, diretor do observatório – que ressalta que, em todos os casos, os dois clubes mais ricos do país estão sempre nas três primeiras posições.

(Com agência France-Presse)