Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

A volta de Demian, vítima de Anderson e algoz de Sonnen

O outro brasileiro do card principal do UFC 148 lutou com os 2 protagonistas da noite. Depois de sequência decepcionante, estreará em uma nova categoria

Por Da Redação 4 jul 2012, 07h42

Vaiado na última luta, Demian foi alvo de rumores sobre sua possível demissão do UFC. Mas ele seguiu na franquia e resolveu arriscar, mudando para os meio-médios

Todos os holofotes estão sobre Anderson Silva, mas há um outro brasileiro no card principal do UFC 148 – e ele já lutou com os dois grandes protagonistas da noite. Aos 34 anos e no UFC desde 2007, o paulista Demian Maia foi uma das vítimas mais famosas de Anderson, mas também foi um dos algozes de Chael Sonnen (em fevereiro de 2009, com uma vitória por finalização, logo no primeiro round). O evento da noite de sábado, em Las Vegas, representa um importante recomeço para o brasileiro, que vem de uma série muito irregular de combates. Será sua estreia na categoria meio-médio, até 77 quilos – e uma chance para Demian reencontrar sua melhor forma, reeditar suas lutas mais convincentes e voltar a figurar entre os nomes mais respeitados da franquia (e entre os lutadores cotados para lutas que valem o título, como acontecia no passado).

O polêmico UFC 112

A postura de Anderson na luta contra Demian fez Dana White afirmar que estava ‘envergonhado’ e que aquela tinha sido a pior noite de todo o UFC

Leia também:

Leia também: Frio e confiante, Anderson Silva prevê sua vitória no primeiro round contra Chael Sonnen

Demian estreou no UFC há cinco anos, num combate contra Ryan Jensen. Depois de seis vitórias e apenas uma derrota (contra Nate Marquardt), teve a chance de disputar o cinturão dos médios contra Anderson Silva. A luta ficou marcada pelas provocações e atitudes pouco humildes de Anderson, mas Demian não caiu na zombaria do campeão e, apesar de ter apanhado bastante, terminou a luta de forma honrosa, tentando acertar o adversário até o fim do quinto round. Encerrado o combate, Anderson se desculpou pela postura pouco profissional. Mesmo tendo motivos para ganhar ainda mais confiança (afinal, aguentou cinco rounds com o melhor lutador do mundo), Demian iniciou uma série de lutas pouco empolgantes. Nos cinco combates seguintes, venceu três e perdeu duas, todas por decisão dos juízes. Em todas elas, seu desempenho deixou a desejar.

Leia também:

Leia também: Por que o UFC pode mudar alguns de seus campeões de categoria

Continua após a publicidade

Formado em jornalismo

Leia também:

Anderson x Sonnen não é só luta. É uma questão pessoal

No auge da popularidade, o MMA vai dando adeus a suas lendas

‘Eu apanhei de Júnior Cigano. Mas quero minha revanche’

Anderson Silva começa sua semana decisiva rumo ao UFC 148

Em vídeo, Anderson joga paintball – e Sonnen volta à escola

Continua após a publicidade
Publicidade