Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

A estratégia do Milan e do irmão de Ronaldinho Gaúcho para lucrar com o leilão na transferência do craque

Adriano Galliani e Roberto Assis conseguiram, com a coletiva para 'nada declarar', aumentar a exposição e os lances de Flamengo e Grêmio pelo jogador

Por Leo Pinheiro, do Rio de Janeiro 7 jan 2011, 14h24

Proposta do Flamengo era a melhor até a manhã desta sexta-feira, quando o Grêmio fez sua nova oferta. Desmonte da festa no estádio Olímpico indica que o leilão ainda não terminou

Por trás do anúncio de que Ronaldinho Gaúcho não tinha nada a declarar, na tarde de quinta-feira, estava em curso, na verdade, um leilão em dois tempos. A superexposição do craque, promovida pelo irmã-empresário, Roberto Assis, com aval do vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, parece ter dado certo: a proposta do Flamengo, que até então era a mais alta, foi superada na manhã desta sexta-feira pelo Grêmio, em uma teleconferência com participação do presidente do clube de Porto Alegre, Paulo Odone, e do representante do clube italiano.

Explica-se, assim, o ‘rompante rubro-negro’ de Galliani que declarou abertamente torcer pelo Flamengo na disputa que, àquela altura, no fim da ‘coletiva’, tinha quatro clubes envolvidos – Palmeiras e Corinthians também estavam no páreo. O Milan, que é quem vai bater o martelo por ser o detentor do contrato com Ronaldinho, quer e pode dar preferência à melhor proposta para o clube – o que, nesse caso, significa, em primeiro, que o jogador não atue na Itália; em segundo, mais com peso semelhante, o valor a ser pago.

A aposta no peso da proposta do Grêmio levou o clube a montar o palco para o anúncio no estádio Olímpico – com caixas de som para gritar a ponto de a torcida do Inter entender o tamanho do problema que seria ter Ronaldinho atazanando a zaga colorada. Mas Paulo Odone e os cartolas gaúchos não contavam com a disposição do outro lado para negociar – no caso, não clubes rivais, mas os próprios representantes do atleta.

A interlocutores próximos, Galliani diz abertamente que vai levar Ronaldinho quem fizer a melhor proposta – que, para bom entendedor, significa “a maior” proposta. Posando de defensor do irmão, Assis é mais discreto, mas não menos desinteressado. Tanto que, desde que as negociações foram abertas, a “melhor” proposta, do Flamengo, já subiu duas vezes. Primeiro, na manhã desta sexta-feira, quando o Grêmio passou a dar com o certa a ida do craque para Porto Alegre. A outra, no início da tarde, quando os gremistas recolheram o aparato da festa, provavelmente informados sobre uma nova oferta pelo passe do craque.

Vice-presidente do Flamengo, Hélio Ferraz afirmou ao site de VEJA que não está participando diretamente das negociações, mas que o clube não tem intenção de participar de leilão. Já Adriano Galliani está tão certo de que os negócios estão bem encaminhados que, depois da teleconferência com o presidente do Grêmio, pela manhã, saiu de perto do telefone e foi passear com uma amiga no Leblon – onde tem um apartamento.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)