Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A caminho do Brasil, Djokovic comemora ‘2013 fantástico’

O tenista sérvio, que joga no sábado no Rio, já pensa na próxima temporada

“Vou ficar duas semanas e maia completamente fora do tênis, em um lugar tropical, muito bonito e sem nenhuma raquete por perto. Preciso recarregar as baterias”

Depois de um grande duelo contra o suíço Roger Federer, o sérvio Novak Djokovic sagrou-se campeão do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada, em Londres, na noite de segunda-feira. A conquista fechou mais um ano muito positivo para o número um do mundo, que dedicou o título ao pai, que se recupera de um problema de saúde. A caminho do Brasil – no fim de semana, ele joga uma partida de exibição contra Gustavo Kuerten, no Rio de Janeiro -, Djokovic disse: “Este é meu momento. Realmente acredito em minha capacidade. Ao longo de toda a temporada, tive sucessos e também decepções, mas consegui fazer algumas finais bastante importantes”.

Leia também:

Leia também: Novak Djokovic vem ao Brasil jogar tênis – e futebol

Seu próximo compromisso profissional é justamente a visita ao Brasil. Antes disso, ele passa pela Sérvia para visitar a família. No Rio, além de jogar contra Guga no Ginásio do Maracanãzinho, o atleta participa de um jogo de futebol festivo, com a presença de ex-jogadores famosos – ele torce para que convidados como Zico, Bebeto e Cafu estejam mesmo na partida, mas admite ser “terrível” com a bola nos pés. Ao comentar o desgaste sofrido nesta temporada, o sérvio revelou que teve dificuldades para conciliar os torneios deste ano com o desejo de ficar perto do pai.

“Mas foi um ano fantástico, em que tive de enfrentar uma série de dificuldades fora de quadra também. Especialmente nesse torneio, com meu pai lutando para se curar, tive uma força extra e joguei por ele. Essa é uma das razões pelas quais dei meu melhor hoje. É um título para ele”, afirmou o tenista. Djokovic já pensa na próxima temporada, dizendo ter “muitas esperanças e objetivos” para 2013. Antes de começar a se preparar, porém, o número um do mundo vai tirar férias. “Vou ficar duas semanas e maia completamente fora do tênis, em um lugar tropical, muito bonito e sem nenhuma raquete por perto. Preciso recarregar as baterias”, contou.

(Com agência Gazeta Press)