Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

A bola de 2013: depois de ‘Brazuca’ com z, ‘Cafusa’ com s

Por Da Redação 1 dez 2012, 12h23

Pouco antes do sorteio das chaves da Copa das Confederações de 2013, neste sábado, em São Paulo, o capitão da conquista do penta, Cafu, subiu ao palco do Anhembi para mostrar a bola oficial do torneio, criada pela Adidas, parceira comercial da Fifa há décadas. E, assim como no lançamento da bola da Copa do Mundo, chamou atenção a grafia da palavra escolhida: “Cafusa”, ao invés de “cafuza”, como seria o convencional. Curiosamente, a troca do “z” pelo “s” é o inverso que aconteceu com a bola de 2014, que foi batizada de “Brazuca” (a versão mais aceita pelos especialistas é “brasuca”). Em nome da Adidas, ainda no palco, Cafu explicou que a diferença de grafia não é um erro – e brincou com a coincidência da sonoridade parecida com seu apelido. “É Cafusa, mas não tem nada a ver comigo. Sabia que o nome seria motivo para risos”, brincou. “Sabemos que, no Brasil, ‘cafuzo’ é o resultado da miscigenação de negros e índios. Mas Cafusa também pode ser a fusão de carnaval, futebol e samba”, completou, enfim revelando qual foi a ideia da empresa alemã ao decidir o nome. Branca, com detalhes em verde e amarelo, a bola tem 32 gomos e utiliza a mesma tecnologia adotada pela Adidas na Tango 12, a bola oficial da última Eurocopa (e que foi aprovada tanto pelas seleções como pela Fifa). Nas lojas, a Cafusa terá duas versões: a mais simples, uma réplica, sairá por 45,90 reais; a outra, idêntica à que será usada nas partidas da Copa das Confederações, custará muito mais caro, 399,90 reais.

Leia também:

Em sorteio confuso, Brasil cai com Japão, México e Itália

Ensaio para 2014 tem mais de 130.000 ingressos vendidos

Copa das Confederações dará US$ 20 milhões em prêmios

Depois de 2012 promissor, Valcke prevê um 2013 decisivo

Em São Paulo, Blatter aprova sucessão rápida na seleção

Sem saída, Valcke agora diz confiar em promessas do país

Continua após a publicidade
Publicidade