Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A avaliação de Senna sobre 12 carros na pista de Interlagos

O tricampeão mundial de Fórmula 1 acelerou no autódromo de São Paulo veículos como Monza, Gol e Del Rey e fez uma avaliação minuciosa de vários itens

Ayrton Senna da Silva tinha 24 anos quando estreou na Fórmula 1, em 1984. Pouco antes de fazer aniversário, deu um presentão a QUATRO RODAS: testou 12 nacionais no autódromo de Interlagos. O tricampeão mundial de Fórmula 1 acelerou em Interlagos veículos vendidos na época, como Monza, Gol e Del Rey e compartilhou suas impressões.

Entre uma avaliação e outra, conferiu o desempenho de cada automóvel, repassou suas notas nos quatorze itens e, claro, falou sobre a primeira temporada na F-1, que estava prestes a começar pela Toleman-Hart. “Não esperem vitórias. Se eu conseguir um quinto ou sexto lugar, já poderei me considerar realizado”, afirmou.

Leia também:
“Não beba milkfake”, diz Whindersson Nunes em comercial do Bob’s
Marca de cosmético muda nome de produtos após acusação de racismo

Mas Ayrton conseguiu muito mais que isso. Já em sua sexta prova na categoria, em Mônaco, ficou em segundo lugar. Na Inglaterra e em Portugal, terminou em terceiro. Seu talento foi logo reconhecido e, no ano seguinte, estava pilotando pela escuderia Lotus. A partir daí, todo mundo já sabe: numa das trajetórias mais gloriosas da F-1, sagrou-se tricampeão pela McLaren e transformou-se em mito do automobilismo mundial.

O convite a Ayrton seguia uma tradição de QUATRO RODAS de ter personalidades da F-1 para testar os carros brasileiros. Jackie Stewart foi o primeiro, em 1970. Um ano depois, Collin Chapman, dono da Lotus, e Emerson Fittipaldi toparam o desafio.

Em 1975, Emerson repetiria a dose e, em 1978, foi a vez de Jody Scheckter, que ganharia o título do ano seguinte. Para Ayrton Senna, dirigir 12 modelos poucos dias antes de alinhar pela primeira vez no grid da F-1, em Jacarepaguá (RJ), foi um esquenta para a temporada que viria.

Uma única nota 10 – Dos 12 modelos avaliados por Senna, o que mais o impressionou foi o Ford Escort GL, ao qual deu várias notas 9, entre elas em freios, estilo e posição do motorista. Rigoroso, o piloto só deu um 10, para o porta-malas da Chevrolet Caravan. E foi enfático ao criticar o VW Gol LS: “Este carro não me agrada em nada.”

Leia as avaliações e a reportagem completa no site de QUATRO RODAS

Ayrton Senna e a brigada de 12 carros testados em Interlagos