Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Yoko Ono ganhará exposição no Instituto Tomie Ohtake

Intitulada 'Dream Come True', a mostra propõe uma grande retrospectiva da pioneira da arte conceitual

Após uma longa temporada no MALBA, em Buenos Aires, as obras da artista nipo-americana Yoko Ono poderão ser conferidas pelo público brasileiro no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Com previsão de estreia entre abril e maio, a exposição consiste em uma grande retrospectiva da carreira da artista, uma das pioneiras da arte conceitual.

São mais de oitenta trabalhos, entre objetos, filmes, vídeos, instalações e registros sonoros produzidos a partir dos anos 1960. A performance é um dos eixos centrais da exposição, com as famosas Instruções, mensagens simples que convocam as pessoas a realizarem determinadas ações, como escutar o som da Terra girando ou observar um fósforo queimando. As peças serão exibidas como textos e transpostas para suportes que pedem a participação do público, convidado a pensar em questões ligadas à arte, ao cotidiano e aos contextos políticos e sociais.

Aos 83 anos de idade, Ono também é conhecida por seu engajamento em temas feministas. Recentemente, um áudio da artista gritando em reação à vitória do candidato republicano Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos viralizou nas redes sociais.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A “artista” não é a rainha da sucata, mas é do lixo!
    Arte? Só se for de arteira.
    Tem uma “obra” dela (uns 3 minutos e pouco) que mostra, simplesmente, o pênis do Lennon flácido e entrando em ereção!?!?…
    Será que ela vai expor esse clássico da cinematografia?

    Curtir

  2. A única “arte” que ela fez foi casar com o John. Para ele, ela foi a musa inspiradora de algumas de suas mais lindas músicas. Ele era realmente apaixonado pela Yoko. Por causa de um louco o mundo perdeu um gênio.

    Curtir

  3. Ronaldo Pretti

    Qualquer pessoa sensata, usuária ou não, sabe o que é preciso consumir para “ouvir o som da terra girando” ou “admirar o ato poluente de um fosforo queimando”.

    Curtir