Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Will Ferrell desiste de interpretar Reagan no cinema

Ator foi criticado pelos filhos do ex-presidente americano quando eles descobriram que o filme mostraria a história de seu pai lutando contra o Alzheimer

O ator Will Ferrell não vai interpretar Ronald Reagan no cinema, segundo o site da revista The Hollywood Reporter. Um porta-voz do ator afirmou nesta sexta-feira que o ator nunca esteve oficialmente relacionado ao projeto. “O roteiro de Reagan foi enviado a Will Ferrell e foi considerado. Apesar de não ser de maneira alguma ‘uma comédia sobre o Alzheimer’ como se insinuou, o senhor Ferrell não se dedicará a este projeto”, declarou o representante.

Segundo o site da revista Variety, porém, o primeiro a dar a notícia da escalação do ator para o filme, ele desistiu da produção após se ver em meio a uma controvérsia com os filhos do ex-presidente americano. Segundo a revista, o longa, com roteiro do novato Mike Rosolio, se baseava no segundo mandato de Reagan, quando ele começa a mostrar os primeiros sintomas da doença e um estagiário tenta convencê-lo de que é um ator no papel do presidente em uma obra de ficção.

Depois de tomar conhecimento da história do filme, Patti Davis, uma das filhas de Reagan, publicou na quinta-feira uma carta aberta a Ferrell em seu blog, na qual criticava duramente a exploração de uma doença mental como material para uma comédia. “Talvez, se você soubesse mais, não acharia este assunto engraçado”, afirmou.

Patti Davis comparou o Alzheimer a um “pirata definitivo” que saqueia a vida de uma pessoa e só deixa “uma paisagem vazia” por trás. “Para a sua comédia, talvez você devesse visitar alguns centros de demência. Eu fiz isso e não encontrei nada cômico. Minha esperança é que, se você for um ser humano decente, também não encontrará”, argumentou Davis, que disse colaborar com grupos de apoio a famílias de pessoas que sofrem essa doença.

Além disso, Michael Reagan, outro filho do ex-presidente, também se manifestou contra a abordagem do filme na quarta. “Que atrocidade. O Alzheimer não é uma brincadeira, ele mata. Todos deveriam estar envergonhados”, afirmou em sua conta no Twitter.

(Com agência EFE)