Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vítima comemora prisão de Bill Cosby: ‘Seu reinado de terror acabou’

Mulheres que acusaram comediante de assédio celebraram a sentença

Por Redação - Atualizado em 26 Sep 2018, 17h26 - Publicado em 26 Sep 2018, 14h39

Algumas das sessenta mulheres que acusam Bill Cosby, 81 anos, de assédio, comemoraram a decisão judicial divulgada na terça-feira, que condenou o comediante a uma pena de três a dez anos de prisão por drogar e abusar sexualmente de Andrea Constand, em 2004.

Constand, em comunicado obtido pela revista Hollywood Reporter, afirmou que, quinze anos após o caso de assédio, ela é “uma mulher de meia-idade, que ficou presa em um mesmo padrão de comportamento, incapaz de curar completamente e seguir em frente”. Sobre Cosby, ela ainda declarou: “Nós talvez nunca saibamos a completa extensão da sua vida dupla como predador sexual, mas as suas décadas de reinado de terror acabaram.”

A executiva Cindra Ladd, que acusou o comediante de tê-la estuprado, enquanto ela passava mal na casa de amigos, aos 21 anos, afirmou: “Sempre soube que Bill Cosby era um predador sexual violento e agora isso foi confirmado oficialmente pela corte”, em um comunicado à publicação.

A modelo Janice Dickinson, que acusou Cosby de estupro e de tê-la drogado, compareceu ao tribunal na terça-feira para acompanhar a sentença. Através de um comunicado, ela declarou: “O estupro destruiu a minha habilidade de confiar. Isso me fez extremamente cautelosa na carreira de atriz. Eu perdi a coragem. Perdi parte da minha atitude efervescente e do meu brilho, qualidades necessárias como modelo”.

Continua após a publicidade

Outras mulheres que acusaram Cosby, como Lili Bernard, Lise Lotte-Lublin, Chelan Lasha e Linda Kirkpatrick, também comemoram a decisão. Sunni Welles, a mais antiga acusadora do comediante, afirmou que não o perdoa, após a divulgação da sentença. “Espero que quando você morrer vá direto para o inferno, porque é precisamente o que você merece pelos seus pecados e crimes horrendos contra mim e tantas outras mulheres”, escreveu em uma declaração.

Publicidade