Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Um protocolo que Meghan Markle vai deixar de quebrar no casamento

Atriz, que planejava ser levada pela mãe ao altar, será acompanhada pelo pai, como manda a tradição

Por Reuters - Atualizado em 4 maio 2018, 22h32 - Publicado em 4 maio 2018, 16h02

Os rumores de que Meghan Markle seria conduzida pela mãe, Doria Ragland, ao altar no casamento com o príncipe Harry, chegaram ao fim nesta sexta-feira. O Palácio de Kensington informou que o pai da noiva, Thomas Markle, é quem caminhará pela igreja com a atriz ao encontro do noivo. Doria chegará de carro com a filha ao Castelo de Windsor, onde será a união, no dia 19 de maio.

Thomas e Doria se separaram em 1987, quando Meghan tinha 6 anos. Desde então, a relação com o pai se tornou distante. Porém, quebrar o protocolo não parece ter sido uma opção para a atriz. No comunicado oficial, o Palácio reforça que “a cerimônia será guiada pelas tradições, permitindo que todos celebrem os detalhes que fazem de um casamento real algo tão especial”.

“Na manhã do casamento, a senhora Ragland viajará com a senhorita Markle de carro ao Castelo de Windsor”, diz o texto. “O senhor Markle levará sua filha pela nave da Capela de São Jorge. A senhorita Markle está encantada por ter os pais ao lado nesta ocasião importante e feliz.”

Os pais da noiva partirão dos Estados Unidos de avião uma semana antes da festa, e ambos se encontrarão pela primeira vez com a família real, incluindo a rainha Elizabeth, de 92 anos, seu marido, o príncipe Philip, o pai de Harry, príncipe Charles, seu irmão mais velho, William, e sua esposa Kate.

Publicidade

O mesmo comunicado afirma que a família da princesa Diana será representada no evento pelos irmãos e irmãs da mãe de Harry. Jane Fellowes, irmã mais velha da princesa, terá uma participação mais ativa, e deve ler uma homenagem em parte do casamento.

Publicidade