Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘The Voice’ convoca drag queen para ‘causar’ na estreia

Deena Love virou as cadeiras dos quatro técnicos no melhor momento da noite de quinta-feira, que ainda deu nova chance a um candidato eliminado em 2013

A terceira temporada do The Voice Brasil estreou na noite de quinta-feira disposta a “causar”. E convocou uma especialista: a drag queen Deena Love. Impecável em um modelito preto de renda, sua voz potente precisou de apenas dez segundos para girar as cadeiras de Lulu Santos e Claudia Leitte. Boquiabertos, os dois cantavam junto Calling You, quando Daniel e Carlinhos Brown também se viraram. O dono da personagem, Pedro Novas, diz que sua intenção sempre foi homenagear as rainhas do rádio, e foi como uma diva que dominou o palco. Na hora de escolher seu técnico, levou em conta a própria trajetória: “Como sempre tentei dar voz àqueles cantores e àquelas músicas que o tempo esqueceu, só podia escolher um artista que já fez isso”. Com os olhos marejados, Lulu foi buscar a pupila – que já estava no topo dos trending topics do Twitter.

Leia também:

Cadê o novo ídolo da música brasileira que estava aqui?

Radar on-line: ‘The Voice’ estreia com audiência menor

Deena apareceu exatamente na metade do programa: foi a sexta de doze candidatos que passaram pela primeira etapa das audições às cegas. Quem abriu as apresentações foi Gabriel Silva, também disputado pelos quatro técnicos depois de cantar Hoochie Coochie Man. Claudia, com um figurino de gosto duvidoso que fez sumir as belas curvas de seu corpo, quer o bicampeonato a todo custo – foi ela a tutora do vencedor da edição passada, Sam Alves. Para conquistar os melhores candidatos, ela mostrou estar disposta a se jogar no chão e sensualizar (mais). Daniel parece querer se soltar – chegou a fazer passinhos de Michael Jackson -, mas ainda não convenceu. Lulu continua na postura de mestre, sempre com o melhor a dizer. E Brown, ainda bem, pode ter as falas sintetizadas graças aos recursos da edição.

Para os bastidores, Boninho encontrou finalmente a parceira ideal para Tiago Leifert. Fernanda Souza conseguiu se aproximar dos participantes de um jeito descontraído e soube fazer uma boa dobradinha com o apresentador oficial, especialmente na sala de onde as famílias acompanham os testes. Entre as histórias de vida destacadas pelos dois, a sertaneja com o sonho de conhecer o mar, a bela gaúcha que subia pela primeira vez em um palco e a cantora que começou em karaokê para impressionar uma paixão da adolescência. O que ficou de fora, como sempre, foi a passagem de duas candidatas pelo reality show rival, o Ídolos, da Rede Record. Nise Palhares participou em 2010, quando eliminou Chay Suede – o José Alfredo da primeira fase de Império manda beijo no ombro. Hellen Lyu competiu em 2009. Ambas ficaram em terceiro lugar.

Novos quadros – Foi Hellen, aliás, a escolhida para testar outra novidade das audições. Cantando atrás de uma cortina vermelha, nem o telespectador em casa, nem a plateia puderam ver quem era a dona da voz que interpretava Valerie. “É a sua vez de brincar de técnico”, anunciou Tiago. Só quando um dos técnicos apertasse o botão, ela seria revelada. Brown ficou com a tarefa – mais perto do fim da apresentação, claro, para que a brincadeira tivesse alguma graça. Claudia também se virou e os dois técnicos encenaram um embate no palco, com ares exagerados de novela mexicana.

Lulu acabou escanteado, ao lado de Daniel, mas já havia sido o protagonista quando Dudu Fileti entrou com Tente Outra Vez – música mais emblemática para lançar o quadro Segunda Chance, não poderia haver. Na edição passada, o catarinense não viu virar nenhuma das cadeiras, e deixou o palco visivelmente abatido e decepcionado. “Falta um pouco de explosão”, comentou Lulu, na ocasião. Dessa vez, ele explodiu, e só Claudia permaneceu de costas. “Desculpa, você canta para c… Eu gostaria de ter a oportunidade de consertar uma injustiça”, pediu Lulu, agora. Foi atendido.