Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Texto de ‘True Blood’ já causou inveja a Charlaine Harris

As aventuras de Sookie Stackhouse, a garçonete com habilidades telepáticas criada pela americana Charlaine Harris, ganharam as telas da HBO em 2008, com o nome True Blood, título emprestado da bebida sintética criada para que os vampiros não precisassem se alimentar de sangue humano. Adaptação da saga As Crônicas de Sookie Stackhouse, de Charlaine, o seriado segue, no entanto, um rumo próprio, impresso pelo produtor e roteirista Alan Ball. Tão próprio que chegou a causar inveja na autora.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM:

A produção em série de Charlaine Harris, a ‘tia’ da fantasia

“Jessica foi uma ideia brilhante e eu realmente gostaria de ter pensado nela”, diz Charlaine sobre uma personagem criada por Ball. Jessica surgiu nos últimos episódios da primeira temporada da série de TV, como uma punição para Bill Compton. Ele foi condenado a transformá-la em vampira para substituir um vampiro que matou.

Jessica não é a única diferença entre a série da TV e a dos livros. Na tela da HBO, personagens secundários ganharam destaque e originaram conflitos inexistentes nas páginas de Charlaine Harris. Foi o caso da melhor amiga de Sookie, Tara Thornton, figura importante na vida da garçonete no seriado, mas que, nas obras da autora americana, só aparece a partir do segundo volume e com fraca relação com Sookie.

Outra mudança relevante se deu com o personagem do cozinheiro Lafayette. Para a autora, ele foi assassinado no segundo livro, mas na televisão ele está vivo até agora, já que a intepretação do ator Nelsan Ellis agradou ao público do seriado.

Os roteiristas de True Blood também deixaram o seriado mais ousado, investindo em cenas de sexo – apenas sugeridas nos livros -, e na invenção do potencial alucinógeno do sangue de vampiro. Mais do que o poder curativo imaginado por Charlaine Harris, no seriado o líquido tem o poder de deixar as pessoas mais atraentes, fortes e ágeis, assim como pode causar delírios e viciar, abrindo espaço para a existência de traficantes, que capturam os vampiros para drenar seu sangue. O próprio irmão de Sookie, Jason Stackhouse, se vicia durante um tempo.

Sucesso do seriado – Ao longo de suas quatro temporadas já exibidas – a primeira foi ao ar em 7 de setembro de 2008 e a quinta estreará no dia 10 de junho deste ano -, a produção já ganhou 16 prêmios, incluindo um Globo de Ouro pela atuação de Anna Paquin como Sookie e um Emmy na categoria de melhor série dramática. A audiência também só cresceu desde 2008. Enquanto o primeiro episódio da temporada de estreia teve apenas 1,4 milhão de espectadores, a quarta temporada começou com 5,4 milhões de pessoas ligadas na série. Mais: a marca de audiência se tornou a média dos outros episódios.

Além de agradar com o enredo, a HBO investe nas campanhas de marketing para atiçar a curiosidade dos fãs. Antes de cada temporada, são divulgados pôsteres dos personagens, fotos, trailer, entrevistas com o elenco, bastidores, cenas inéditas e minisodes – episódio de poucos minutos estrelados por um dos personagens. O seriado também disponibiliza um canal online para venda de produtos licenciados, como o uniforme de garçonete de Sookie e packs de garrafas de Trublood, acompanhados com um menu de drinks que podem ser feitos com a bebida.