Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tela mais reproduzida no mundo é leiloada por US$ 1,4 mi

Chinese Girl, do siberiano Vladimir Tretchikoff, já foi reproduzida em um filme de Hitchcock e em clipes dos Rolling Stones e de David Bowie

A tela Chinese Girl (A Menina Chinesa), do siberiano Vladimir Tretchikoff, tida como a mais reproduzida da história, foi arrematada nesta quarta-feira em Londres por 1,4 milhões de dólares em um leilão da Bonhams. O valor foi quase o dobro do esperado pela Bonhams, que estimava um lance máximo de 755 000 dólares. Elaborada em 1950, Chinese Girl ou A Dama Verde, como é popularmente chamada, mostra o retrato de uma jovem oriental de pele verde.

A modelo da tela foi Monika Sing-Lee, que costumava colaborar com Tretchikoff desde o pintor a descobriu enquanto trabalhava na lavanderia de seu tio na Cidade do Cabo, aos 17 anos. Tretchikoff havia acabado de chegar à África do Sul, onde atuou durante um tempo como artista a serviço do então Ministério de Informação britânico após a Segunda Guerra Mundial (1939-45). O artista retratou Monika com a pele verde e com um vistoso colar dourado, que contrasta com o seu comprido cabelo preto e os intensos lábios vermelhos.

O quadro se tornou popular após ser reproduzido em camisetas, xícaras e cartazes. A tela também foi incluída em adereços de Frenesi, filme de Alfred Hitchcock, e em clipes dos Rolling Stones e de David Bowie, entre outros. A fascinação pela obra fez com que ela viajasse dois anos, entre 1953 e 1955, pelos Estados Unidos e Canadá, onde foi incluída em diversas exposições até que retornou a Cidade de Cabo e permaneceu na Galeria Nacional da África do Sul até setembro de 2011.

A peça, adquirida agora pelo milionário britânico Laurence Graff, residente na Suíça e proprietário de uma empresa de diamantes, foi a estrela de um leilão dedicado à arte da África do Sul, país no qual Tretchikoff (1913-2006) desenvolveu a maior parte da carreira desde o final dos anos 1940. Graff exibirá a pintura ao público no hotel que possui próximo à cidade sul-africana de Stellenbosch, onde possui outras obras.

(Com agência EFE)